Litoral

Menina de 2 anos morre após se ferir com presente que havia pedido para a família no Natal


Mãe conta que o sonho da pequena Eloah era ganhar uma bicicleta de presente. O acidente aconteceu quatro dias antes da morte por choque séptico. Ela foi sepultada em Peruíbe, no litoral paulista. Eloah morreu aos 2 anos com choque séptico após infecção em ferida que fez ao cair de bicicleta
Arquivo pessoal
Uma menina de dois anos morreu devido à uma infecção generalizada que levou uma bactéria ao sangue dela devido à um ferimento nas partes íntimas, causado pela queda da bicicleta que havia acabado de ganhar no Natal. Ela foi velada e sepultada em Peruíbe, no litoral de São Paulo, após dois dias de insistência da família para trazer o corpo dela para a Baixada Santista.
A pequena Eloah Maiane Freire dos Santos, de dois anos, tinha o sonho de ganhar uma bicicleta no Natal, segundo contou sua mãe, Neide dos Santos, ao g1, neste domingo (2). A família estava vivendo em Santa Catarina. A menina ganhou o veículo e, logo, quis testá-lo e tentou pedalar no último dia 25. Durante a brincadeira, ela chegou a se atrapalhar ao tentar sair da bicicleta e caiu no chão, machucando sua parte íntima com o impacto.
O ferimento não preocupou a criança, que só avisou a mãe sobre um incômodo no local no dia seguinte, quando a região amanheceu com inchaço. Como estava reclamando de dor e também estava com febre, os pais a levaram a um hospital público. Ela foi examinada — segundo a mãe superficialmente —, e recebeu remédios para a dor e febre. “Falaram que era uma íngua [inflamação]”, relembrou a mãe.
“Eloah era uma menina muito gentil, doce, que não gostava de ver ninguém triste. Era muito sincera sobre tudo. É um pecado uma criança de dois anos passar por tudo isso”, desabafou a mãe.
A menina continuou reclamando de fortes dores e, no dia 27 de dezembro, a região da ferida amanheceu mais inchada e inflamada. A família decidiu ir em um hospital particular e, após avaliações médicas, ouviram que deveriam administrar remédios para a dor e inflamação. A pediatra teria dito que o pus na ferida estava endurecido e eles precisariam dar banhos mornos para amolecê-lo e permitir o alívio daquela região.
“Deram duas opções para a gente: internar a nossa filha para fazer o tratamento por lá ou, então, fazer em casa”, conta. Sem condições financeiras de arcar com a internação e sem convênio, eles optaram por tratá-la em casa.
Eloah morreu aos 2 anos com choque séptico após infecção em ferida que fez ao cair de bicicleta
Arquivo pessoal
Naquela noite, a menina não conseguiu dormir. Com dores insuportáveis, ela acordou os pais incomodada com o calor. “Suava frio e se revirava na cama. Ela nunca fazia isso”, disse a mãe. A situação piorou ainda mais quando Eloah começou a convulsionar, por volta de 3h, já na madrugada do dia 29.
Os pais correram com a pequena até um pronto-socorro público, onde ela foi internada e passou por exames. Enquanto aguardava pela chegada de um especialista pediátrico, ela convulsionou novamente na enfermaria e precisou ser levada às pressas para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
Eloah precisava ser transferida para um hospital, mas não resistiu à transferência entre as unidades e morreu ainda na ambulância. A causa da morte, segundo os pais, foi um choque séptico causado, por uma bactéria no sangue dela, devido à infecção na ferida.
Translado para o litoral
O desejo da família era de sepultá-la em Mongaguá, no litoral paulista, local onde o restante da família mora. No entanto, os pais de Eloah enfrentaram grandes dificuldades burocráticas e só conseguiram autorização para enterrá-la na cidade vizinha Peruíbe, na última sexta-feira (31).
Os pais e irmãos mais velhos de Eloah estão passando alguns dias na Baixada Santista, mas dizem que não pretendem voltar a morar em Santa Catarina após o falecimento da menina. “Não faz mais sentido nenhum voltar pra lá”, desabafa a mãe.
VÍDEOS: as notícias mais vistas do g1

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »