Litoral

Agente relata ‘livramento’ ao escapar por minutos de queda de ‘paredão’ em Capitólio: ‘alívio’


Acidente aconteceu no Lago de Furnas, na região Centro-Oeste de Minas Gerais. Agente estava com um grupo de 34 pessoas e saiu do lugar onde ocorreu a queda das pedras 15 minutos antes. Thiago Souto esteve com um grupo de turistas no local pouco antes do desabamento
Arquivo Pessoal
Um grupo de turistas da Baixada Santista, no litoral de São Paulo, escapou do deslizamento de pedras no Lago de Furnas, em Capitólio (MG), neste sábado (8), por cerca de 15 minutos. Eles haviam encerrado o passeio pouco antes do acidente que vitimou ao menos sete pessoas e deixou outras três desaparecidas. Ao g1, o agente de viagens de Guarujá, Thiago Souto, que conduzia o grupo, acredita que foi um “livramento”.
O desabamento de pedras no cânion ocorreu por volta das 12h30, e atingiu quatro embarcações que estavam na área. As pedras deslizaram de uma altura de mais de 5 metros, no Condomínio Escarpas do Lago, perto do município de São Roque de Minas. Thiago estava com o grupo de 34 pessoas desde cedo no lugar do acidente, e saiu minutos antes para almoçar, momento em que todos souberam o que havia ocorrido.
Deslizamento de pedras atinge embarcações nos cânions de Furnas em Capitólio
Ele e os clientes começaram a receber vídeos e mensagens de familiares preocupados, perguntando se eles estavam bem. “A gente, sem entender o que estava acontecendo, começou a atender familiares, amigos, clientes”, explica. Ele chegou a gravar um vídeo para mandar a todos, para dizer que com eles não havia ocorrido nada.
Santista diz que clima é de tristeza em Capitólio após queda de paredão
Após entender o que aconteceu na cidade e informar aos mais próximos que estava bem, Thiago sentiu um alívio muito grande por terem ido embora momentos antes. No entanto, a tristeza e a preocupação foram inevitáveis, segundo ele, pois havia muitos colegas do mesmo ramo no local. “Ficamos naquela apreensão, como todos”, afirma.
Ainda conforme Thiago, essa viagem para Capitólio iria ocorrer há dois anos, mas devido à pandemia, teve de ser remarcada para este sábado, dia em que o acidente aconteceu. “Minutos antes do ocorrido, a gente tinha passado por lá. Você ver que acabou não presenciando, não vivendo aquilo, de certa forma é um alívio. Foi um livramento”, finaliza.
Pedra desliza sobre turistas em Capitólio
Redes Sociais/Reprodução
Entenda
Um deslizamento de pedras no Lago de Furnas, em Capitólio, no Centro-Oeste de Minas, atingiu quatro embarcações, com 34 pessoas, neste sábado, e causou ao menos sete mortes. A estimativa dos bombeiros é que cerca de três pessoas estejam desaparecidas.
Um vídeo cuja veracidade foi confirmada pelos bombeiros mostra o momento em que um dos cânions atinge as lanchas (veja acima).
Veja o que se sabe até agora:
O deslizamento ocorreu por volta das 12h30. Ainda não se sabe o que causou o acidente
Quatro embarcações foram atingidas, segundo os bombeiros
Sete pessoas morreram. Ao menos 4 seguem internadas
Uma equipe de mergulhadores está no local e não há previsão de término das buscas (elas foram suspensas durante a noite e serão retomadas no domingo)
27 pessoas foram atendidas e liberadas
A primeira informação dos bombeiros dava conta de 20 desaparecidos, mas o número foi atualizado para 3
Bombeiros e Polícia Civil estão no local; a Marinha foi acionada e vai investigar a causa
Defesa Civil havia emitido um alerta sobre chuvas intensas na região com possibilidade de ‘cabeça d’água’, e Marinha também investiga porque os passeios foram mantidos
Mortes
O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais confirmou 7 mortes pelo deslizamento.
As vítimas são 3 mulheres e 4 homens, informou o delegado de Capitólio; ninguém foi identificado ainda.
Desaparecidos
O coronel dos bombeiros Edgard Estevo disse, primeiramente, que a estimativa é que 20 pessoas estivessem desaparecidas. Entretanto, em entrevista para a EPTV, afiliada Globo, o tenente Pedro Aihara afirmou que atualmente são três pessoas desaparecidas, e que eles conseguiram contato com as outras vítimas.
Ele reforçou que as buscas continuam e as informações são preliminares. De acordo com o coronel, 40 bombeiros e mergulhadores estão no local do acidente.
Feridos
Segundo o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, 32 pessoas foram atendidas por causa do acidente, a maioria com ferimentos leves.
Dessas, 27 foram atendidas e liberadas: 23 delas da Santa Casa de Capitólio e outras 4 da Santa Casa de São José da Barra, a 46 km de Capitólio.
Outras 4 pessoas, ao menos, seguem internadas:
2 pessoas com fraturas expostas foram para a Santa Casa de Piumhi, a cerca de 23 km de Capitólio
2 pessoas seguem internadas na Santa Casa de Passos, a 74 km de Capitólio; a terceira pessoa que estava internada em Passos foi para um hospital particular – por isso, os bombeiros não têm informações sobre o estado de saúde dela.
Ninguém foi identificado até agora. Guarnições de Passos e Piumhi foram deslocadas para a região para prestar atendimento às vítimas.
Devido ao mau tempo, o helicóptero Arcanjo do Corpo de Bombeiros de Varginha foi acionado para auxiliar no socorro às vítimas do deslizamento de pedras em Capitólio, mas não conseguiu chegar até o local do acidente. Segundo o capitão do Batalhão de Operações Aéreas, João Bosco, o helicóptero decolou de Varginha e precisou pousar em Carmo do Rio Claro.
Feridos em acidente em Capitólio (MG) foram levados para cidades próximas; veja no infográfico
G1
VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »