Litoral

Justiça bloqueia bens de integrantes de organização criminosa resgatados de cadeia em Guarujá, SP


Suspeitos foram presos durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão, mas foram resgatados da prisão e seguem foragidos. Integrantes de facção criminosa presos na quinta (13) foram resgatados horas depois da cadeia por homens com fuzis
g1 Santos
T
A Justiça bloqueou os bens de dois integrantes de uma organização criminosa, que atua com o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro, resgatados de uma delegacia por homens armados com fuzis, horas depois de serem presos em uma operação da Polícia Civil. Um deles foi apontado como o líder da facção pelas investigações.
Roberto Prieto Filho, conhecido como ‘Betinho’, e Pablo Ribeiro Lopes Santos foram presos por agentes da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) de Itanhaém na última quinta-feira (13), em Guarujá, durante cumprimento de mandados de busca e apreensão.
Em um escritório no bairro Sítio Paecará, alvo da operação, foi encontrado um tijolo de cocaína de alto teor de pureza, destinado à exportação, segundo a polícia. Roberto foi apontado como líder da quadrilha, enquanto Pablo estaria ligado, também, ao tráfico de drogas e à ocultação de bens ligados ao líder.
Criminosos usaram escada para acessar pátio de cadeia anexa ao 1º DP de Guarujá e resgatar presos
Thaís Rozo/g1
Após os suspeitos serem resgatados da cadeia para onde foram encaminhados, a autoridade policial à frente do caso representou pelo bloqueio dos bens e valores em nome de ambos, e também nos nomes da esposa e da sogra de Roberto. O Ministério Público manifestou-se favorável à solicitação, e a Justiça acatou o pedido.
O delegado disse, na representação, que a medida é necessária porque, na condição de foragidos, Roberto e Pablo, além de continuarem com as atividades criminosas, dificilmente serão recapturados, devido à facilidade que suas condições financeiras oferecem.
O bloqueio inclui bens como imóveis, carros e valores nas contas/investimentos do líder da facção e de sua mulher. Na determinação, o juiz da 1ª Vara Criminal do Foro de Guarujá, Thomaz Correa Farqui, argumentou que, “em paralelo à existência de indícios veementes acerca das atividades criminosas exercidas pelos averiguados, há ainda comprovação mínima da origem ilícita dos bens a serem sequestrados, o que justifica o respectivo sequestro”.
Fuga
Os criminosos foram presos e encaminhados à cadeia anexa ao 1º DP, localizado no Distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá, onde estavam até então, aguardando o transporte para outra cidade. Por volta das 5h da última sexta-feira (14), homens armados com fuzis conseguiram acessar o pátio interno com escadas posicionadas por eles no local.
Vídeo gravado por morador registra tiroteio em resgate de presos em Guarujá
Os homens abriram fogo para evitar a ação dos carcereiros, aproveitando o momento para a fuga dos dois presos. Em um vídeo obtido pelo g1, é possível ouvir o tiroteio (veja acima). Um terceiro preso teria se aproveitado da situação para também escapar da cadeia. Segundo a Polícia Civil, ninguém ficou ferido durante o ataque.
Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que os dois criminosos presos seriam encaminhados à audiência de custódia na sexta, e posteriormente transferidos ao sistema prisional.
Diligências estão em andamento para recapturar os fugitivos. Os objetos e veículos utilizados pelos criminosos na fuga foram apreendidos e encaminhados à perícia. A Corregedoria da Polícia Civil acompanha as investigações.
Escada usada por criminosos para fuga do pátio de cadeia anexa ao 1º DP de Guarujá, SP
Reprodução/Facebook/Plantão Guarujá
Cartuchos deflagrados foram encontrados na rua após ação criminosa
Thaís Rozo/g1
VÍDEOS: As notícias mais vistas do g1

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »