Litoral

Morador de rua irá reencontrar a família após 38 anos desaparecido; parentes foram achados pela web


José Pereira sofreu um acidente há um ano, e desde então passou a morar nas ruas de Guarujá, no litoral de São Paulo, até ser ajudado por uma moradora. José Pereira irá reencontrar a família após 38 anos
Divulgação/Prefeitura de Guarujá
Um ex-morador em situação de rua de 62 anos vai reencontrar a família após 38 anos sem contato. José Pereira foi encaminhado ao Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua de Guarujá, no litoral de São Paulo, após ser acolhido por uma moradora. Uma assistente social conseguiu localizar parentes dele por meio das redes sociais. A data do reencontro ainda não está definida.
“O tempo que passa nunca mais volta”, disse Pereira ao g1, enquanto falava da saudade que tem da família. Após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC), depois de um acidente de carro, há um ano, ele passou a viver nas ruas próximas à Praia de Pernambuco.
A professora Simone Ribeiro da Silva, de 40 anos, moradora do bairro Maré Mansa, conheceu José nas idas e vindas a um ponto de ônibus. “Um dia, eu parei para conversar com ele, pois estava com um rosto triste. Ele começou a me contar um pouco da situação dele, e a dor emocional que sentia”.
A partir daí, começou uma relação de cuidado de Simone para com José. “Sempre tentava procurar onde ele estava, todos os dias. Passei meu endereço para ele, pois ele tem lapsos de memória e dificilmente lembraria”. Ao ver a vontade que o idoso tinha de sair das ruas, ela passou a ajuda-lo. “Ele me pediu para leva-lo ao médico, e começamos o acompanhamento da pressão alta. Ele vinha diariamente comer alguma refeição comigo, foi melhorando o emocional”, lembra a professora.
Pouco depois, Simone buscou auxílio no Centro Pop de Guarujá, onde conheceu a assistente social Rúbia Gabriela Andrade, que participou do acolhimento de José. Rúbia procurou entender a história de José, e ao descobrir que ele se lembrava de ter uma família grande, e que residia em São João do Rio do Peixe (PB), começou as buscas para encontrá-la. “Fiz uma postagem nas redes sociais do município onde ele nasceu, e já recebi uma ligação de um familiar dele”, diz Rúbia.
Logo, foram descobertos outros parentes, que vivem em Tremembé, no Vale do Paraíba, Litoral Norte de São Paulo. O irmão mais novo de José, Antônio Pereira da Silva, de 57 anos, afirmou ao g1 que a família pensava que o irmão desaparecido havia morrido. “Eu e minha família sempre comentávamos sobre ele, que nunca tínhamos contato e nem sabíamos onde ele estava”, diz Antônio.
“Eu praticamente não conheci ele. Eu era uma criança e lembrava muito pouco. Mas, quando eu vi a foto e o nome, pensei: ‘esse é o meu irmão'”, relata o mais novo.
Segundo Antônio, o irmão se mudou para São Paulo na década de 80, para ajudar uma tia que estava doente. Após a morte da mulher, ele perdeu contato com o restante da família. “Estou ansioso, finalmente vou trazer ele para cá”, comemora Antônio.
José vivia e trabalhava nas praias de Guarujá. Há cerca de um ano, ele sofreu um acidente de carro, que lhe causou um AVC. A partir daí, ficou impossibilitado de trabalhar, e passou a viver pelas ruas, nas proximidades da Praia de Pernambuco.
Segundo a assistente social, enquanto a família se organiza para levar José até o Vale da Paraíba, ele passa por exames em uma clínica paga pela prefeitura. Ele também está fazendo os documentos, que foram roubados durante o tempo em que passou em situação de rua.
A maior esperança de José era reencontrar a mãe, de quem era muito próximo, mas ela faleceu durante esses anos em que ele passou fora. “Minha mãe morreu tem quatro anos, e eu não sabia”, finaliza.
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »