Litoral

Mulher tem os braços paralisados após ser agredida na cabeça com um pé de cabra pelo companheiro em SP


Segundo a mãe da vítima, agressor já tinha batido na mulher em outras ocasiões. Caso ocorreu em Cananeia (SP). Mulher usou toalha para estancar sangue após agressão em Cananeia, SP
Arquivo Pessoal
Uma mulher de 37 anos foi agredida a socos e com um pé de cabra pelo companheiro em Cananeia, no litoral de São Paulo. Ao g1, a mãe da vítima, Lurdes Aparecida dos Santos, de 55 anos, contou nesta quinta-feira (17) que a filha passou por uma cirurgia na cabeça por conta das agressões, e perdeu o movimento dos braços temporariamente.
“Eu olho a foto [da filha] e não me conformo. Não imaginava ver ela assim. Dói em mim, também, porque foi muita crueldade. A gente que é mãe não aguenta ver. Cheguei a apagar as fotos do celular”, conta Lurdes.
A filha da dona de casa, Angélica Maciel, está internada em um hospital da região do Vale do Ribeira, e é moradora de Ariri, distrito na zona rural da cidade de Cananeia. As agressões teriam começado quando Angélica e o companheiro estavam em um quiosque.
“Ele foi até em casa batendo nela. Foi batendo com socos, e falou que ia matar. Ele ainda pegou um pé de cabra e bateu na cabeça dela. Ela caiu, desmaiada, e acho que ele pensou que realmente tinha matado, porque tinha muito sangue, e saiu de casa. Horas depois, ela levantou, toda ensanguentada, e enrolou uma toalha na cabeça. A Angélica foi para a casa da filha dela, e um vizinho chamou uma ambulância, que levou para o Centro. Os médicos disseram que, se demorassem mais meia hora, ela teria morrido”, explica a mãe.
Mulher se recupera em hospital após ser atingida na cabeça com pé de cabra em Cananeia, SP
Arquivo Pessoal
De acordo com Lurdes, o companheiro de Angélica já havia a agredido em outras ocasiões. Neste domingo (13), foi a pior delas. “Ele não dá sossego. Eles brigavam demais, separavam e voltavam”, diz.
Após passar alguns dias em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Angélica passou por uma cirurgia na cabeça, devido à pancada que levou com o pé de cabra. “Ela não consegue falar. Também não consegue assinar nada, porque paralisou os braços. Está viva por milagre”, diz a mãe.
Um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia Sede de Cananeia. Ao g1, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) disse que a autoridade policial irá se inteirar dos fatos, “para iniciar as diligências pertinentes”.
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »