Litoral

Pai de jogador brasileiro preso na Ucrânia pede ajuda de Bolsonaro: ‘precisa salvar os brasileiros’


Atleta santista Aluísio Chaves Ribeiro Moraes Júnior, mais conhecido como Júnior Moraes, está entre os brasileiros que pedem ajuda para deixar a capital da Ucrânia. Ao g1, pai do atleta falou sobre a revolta causada pela situação. Pai de jogador que está na Ucrânia pede urgência para a retirada dos brasileiros do local
O pai do jogador santista Aluísio Chaves Ribeiro Moraes Júnior, mais conhecido como Júnior Moraes, conversou com o g1 nesta quinta-feira (24) sobre a situação do filho, que está preso, junto com outros brasileiros, em um hotel localizado na cidade de Kiev, na Ucrânia, em meio à invasão da Rússia. “A gente fica revoltado, não só pela gente, mas por toda a nação brasileira”. Aluísio Chaves Ribeiro Moraes também critica a postura do presidente Jair Bolsonaro diante dessa crise mundial.
Júnior Moraes é um dos brasileiros que pede ajuda pelas redes sociais para deixar a capital da Ucrânia com a família. O atleta é naturalizado ucraniano e atua como atacante pelo Shakhtar Donetsk e pela seleção ucraniana.
“Nosso presidente Bolsonaro vai para a Rússia e não tem um avião para mandar para a Ucrânia. Ter coragem, ser homem, ter caráter e urgência de salvar os brasileiros que estão lá na Ucrânia, que não têm nada a ver com a guerra. Nas horas que mais precisa dele [presidente], ele tem que botar a cara para bater. O Brasil não tem nada a ver com essa guerra. [Precisa] acionar urgente a embaixada para tirar os brasileiros de lá”, pede Aluísio.
Ex-Santos, Júnior Moraes está preso com outros jogadores brasileiros em um hotel na Ucrânia
Leonardo Zanotti/g1 e Stanislav Vedmid/Getty Images
Emocionado, o pai do atleta afirma que não consegue mais segurar o sentimento, e conta que a esposa dele tem chorado muito. Ele diz que Júnior Moraes está sozinho em Kiev, pois ele implorou para que ele não levasse os netos e a esposa para lá. “Eles deveriam estar lá com ele, mas eu implorei, falei para não levar os netos, a esposa, ficarem aqui”, revela.
“Não só meu filho, tem crianças lá, mães, outros jogadores brasileiros e repórteres trabalhando lá. As coisas acontecem quando tem iniciativa, e nosso presidente não se comportou bem, eu penso. Mas, ele pode lá botar a bandeira da paz, servir de exemplo para o mundo”, disse.
Clique aqui e acompanhe, em tempo real, as últimas informações da invasão
Segundo ele, a tecnologia e o celular facilitam a comunicação com o filho. “Por um lado, é maravilhoso, mas por outro, também é difícil. A gente se fala sempre, e graças a Deus essa situação vai passar, para a gente poder tentar fazer o mundo melhor, depende dos homens que comandam”.
Junior Moraes jogou pelo Santos FC
Reprodução/Twitter/Santos FC
A torcida, segundo ele, é para que alguma providência das autoridades seja tomada. “A gente vê essa situação cada vez mais se alastrando, e a gente pede a Deus que as coisas melhores, [que] alguém tome uma atitude desses países desenvolvidos”.
Brasileiros na Ucrânia
Cerca de 20 brasileiros estão em um hotel localizado na cidade de Kiev, na Ucrânia, e pedem ajuda à embaixada brasileira para deixar o país, após o anúncio da invasão das tropas militares russas, no início da madrugada desta quinta-feira (24). Eles fizeram um vídeo pedindo socorro à embaixada. Entre os jogadores, está o santista Junior Moraes.
“Aqui estamos todos reunidos com as nossas famílias, hospedados em um hotel”, diz um dos jogadores em vídeo que está sendo divulgado pelas redes sociais. Segundo ele, a falta de combustível, com a fuga de milhares de moradores do conflito, fez com que eles ficassem presos na cidade. Além disso, as fronteiras e o espaço aéreo foram fechados. “Espero que a embaixada possa nos ajudar”, pede.
Jogadores brasileiros presos em hotel pedem ajuda para deixar Ucrânia em meio à invasão da Rússia
Reprodução
Vídeos para entender o conflito entre a Rússia e a Ucrânia

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »