Tecnologia

Amazon vai fechar livrarias e outras lojas físicas


Empresa vai manter as mercearias e se concentrará ainda em um conceito de loja de departamentos. Unidades da Amazon 4-star serão fechadas
Divulgação
A Amazon disse na última quarta-feira (3) que planeja fechar todas as 68 livrarias físicas, quiosques e lojas de brinquedos e artigos domésticos nos Estados Unidos e no Reino Unido, encerrando alguns de seus mais longos experimentos no varejo.
Serão fechadas as unidades de “4-star”, quiosques e livrarias. Isso ocorrerá em diferentes datas e a empresa diz que notificará os clientes.
Os trabalhadores receberão indenização ou ajuda para encontrar empregos em qualquer loja da empresa nas proximidades, como mais de uma dúzia de unidades da mercearia Amazon Fresh, disse a companhia. A empresa não especificou quantos empregos serão cortados.
Amazon quase dobra lucro no 4º trimestre
A receita de “lojas físicas” da companhia — que respondeu por apenas 3% dos US$ 137 bilhões em vendas da Amazon no último trimestre, em grande parte pelo reflexo dos gastos do consumidor em sua subsidiária Whole Foods — muitas vezes não conseguiu acompanhar o crescimento dos outros negócios da varejista.
A Amazon disse que se concentrará mais em suas mercearias e em um conceito de loja de departamentos daqui para frente.
Consumidores fazem compras no supermercado Amazon Fresh, em Londres, no Reino Unido, no dia 4 de março de 2021. Loja será mantida, diferente de outras operações físicas, como a 4 estrelas e livrarias
REUTERS/Henry Nicholls
Fim de uma série de tentativas
Depois de abrir sua primeira livraria, em 2015, a Amazon testou uma série de ideias no varejo: lojas de conveniência sem caixas, supermercados e um formato chamado “4 estrelas” (“4-star”, em inglês), no qual vende brinquedos, utensílios domésticos e outros bens com avaliações altas de clientes.
A notícia, divulgada inicialmente pela Reuters, marca um ponto de virada para a empresa que começou como uma livraria online e ajudou a levar rivais estabelecidos como a Borders à falência.
A empresa criada por Jeff Bezos tinha como objetivo alcançar compradores em mais lugares e trazer seu toque online para o mundo real. As livrarias extraíam dados de seu vasto acervo e mostravam o que as pessoas estavam lendo, até mesmo as resenhas que deixavam no site da Amazon.
Mas as inovações não foram suficientes para conter a marcha rumo às compras online que a própria Amazon havia desencadeado.

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »