Litoral

Médico diz que bumbum deformado após injeção em SP pode ‘nunca mais’ voltar ao normal; paciente tem piora


Neurocirurgião João Luís Cabral Júnior disse ao g1 que, normalmente, a região não volta à forma original porque trata-se de um tecido perdido. Mulher ficou com bumbum deformado após receber injeção em pronto-socorro em Santos, SP
Arquivo Pessoal
O bumbum da mulher que recebeu uma injeção no glúteo esquerdo em um pronto-socorro de Santos, no litoral de São Paulo, pode nunca mais voltar ao que era antes, após ficar deformado. A avaliação foi feita ao g1, nesta segunda-feira (21), pelo neurocirurgião João Luís Cabral Júnior. “Normalmente não volta, porque é um tecido perdido, só com cirurgia reparadora”.
Segundo Cabral, quando há uma atrofia regional, uma retração do tecido que foi infectado, que cicatrizou como um queloide interno e causou uma deformidade, ou se há uma lesão de necrose muscular, a região não volta ao que era antes.
Entenda o que pode ter causado deformação no bumbum de mulher que recebeu injeção
Considerando os exames e relatos da paciente, o neurocirurgião aponta que seria necessário examiná-la para saber se a dor que ela sente, da retração do tecido, é regional ou se é uma inflamação crônica. “A parte estética dificilmente volta, somente com reparação. A dor é outra coisa, tem que ver se pegou parte muscular ou se é retração de tecido que causa a dor”, analisa.
Mulher teve infecção no glúteo após receber injeção em pronto-socorro em Santos, SP
Arquivo Pessoal
Ainda de acordo com o médico, a história mencionada pela paciente não condiz com lesão do nervo ciático, mas seria necessário um exame bastante específico para saber se houve lesão do nervo com comprometimento da área. “Existe um exame que avalia e quantifica a lesão de um nervo, chamado eletroneuromiografia”, conta.
Bruna França Sobral, de 38 anos, relata que, nos últimos dias, passou a sentir uma irradiação da dor para a região da coxa. O neurocirurgião explica que a região mencionada é chamada de cutâneo femural. “Teria que fazer esse exame para descartar esse tipo de lesão secundária, para afirmar se houve lesão neurológica ou não”.
Vítima
Bruna disse ao g1 nesta segunda-feira que passou por uma médica no sábado (19), que a encaminhou a um cirurgião, para ver se há necessidade de plástica. “Que medo sinto. Está muito feio, e estou bem triste, porque ela disse que, fora a estética, tem riscos, ainda”.
A médica explicou a ela que há risco de sepse – conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por uma infecção. “Por isso, ela me deu mais uma semana de antibiótico, para ver se consta mais alguma infecção”, revela.
“Além de ver o que o cirurgião vai falar a respeito desse cisto, desse líquido que está aí, ele pode encaminhar para a cirurgia plástica, também”, completa.
De acordo com mulher, glúteo ficou deformado após ela tomar uma injeção em UPA de Santos, SP
Arquivo Pessoal
Relembre o caso
O episódio aconteceu com Bruna França Sobral, que trabalhava como cuidadora de idosos, emprego que perdeu após o ocorrido. Ela confessa ter ficado indignada com a situação, e explica que recebeu uma injeção de corticoide na nádega após sentir um pouco de falta de ar e buscar atendimento em um pronto-socorro em Santos.
Logo após a aplicação da medicação, a paciente revelou ter sentido ardência no glúteo. “Antes de ela [enfermeira] aplicar, eu perguntei ‘você não está aplicando muito abaixo?’, e ela me respondeu ‘você quer fazer?’. Então, fiquei quieta”, relembra.
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »