Litoral

Uruguaio que ficou paraplégico e vivia em situação de rua em Santos volta ao país de origem após ajuda de assistentes sociais


Por falta de oportunidades, Francisco virou morador de rua em Santos, no litoral de São Paulo. Pai dele foi localizado no Uruguai e custeou a viagem dele de volta ao país. Uruguaio que vivia nas ruas vai voltar ao país onde nasceu
Um uruguaio que veio para o Brasil antes da pandemia virou morador de rua em Santos, no litoral de São Paulo. Após sofrer um acidente, ele ficou paraplégico e não tinha mais expectativas de voltar ao país de origem. Com a ajuda de duas assistentes sociais, ele conseguiu localizar a família e retornar ao Uruguai.
Francisco Shael Catarino Souto, de 36 anos, chegou no Brasil em 2019. Ele foi parar nas ruas, segundo ele, por falta de oportunidades. “Sem profissão, sem identidade. Eu fiquei aqui sem casa, parado no Brasil. Por causa da pandemia, afetou tudo”, conta ele.
Francisco conta que vivia entre as ruas e casas de acolhimento da cidade. Após cair de um muro, ele ficou paraplégico. Desde então, passou a utilizar cadeira de rodas para se locomover. O uruguaio ficou internado no Complexo Hospitalar dos Estivadores e, depois, com a saúde estabilizada, foi transferido para o Hospital de Pequeno Porte (HPP), o antigo PS Central, em fevereiro deste ano. Ali, passou a ter o acompanhamento de assistentes sociais para não retornar à situação de vulnerabilidade.
As assistentes sociais Neuza Ribeiro Ramos Santana e Andreia do Nascimento Oliveira Souza resolveram ajudá-lo. “O diagnóstico dele, da entrada dele, foi uma escara infectada, que é uma ferida por pulsão, por conta de ele ser uma pessoa paraplégica e estar em situação de rua”, explica Andreia.
As assistentes sociais Neuza Ribeiro Ramos Santana e Andreia do Nascimento Oliveira Souza resolveram ajudar Francisco a retornar ao Uruguai
Isabela Carrari/Prefeitura de Santos
Logo que o uruguaio chegou ao hospital, ele expôs a vontade de voltar ao país de origem. Porém, Francisco não tinha documentos e nem o endereço dos familiares. As assistentes sociais trabalharam por cerca de um mês para ajudar Francisco. Elas fizeram contato com o Consulado Uruguaio e também com a família dele.
“Localizaram o pai do Francisco, o senhor Jorge. Ele ficou bem interessado no retorno do filho para o país. Francisco não tinha mais expectativa de voltar para o seu país”, conta a assistente Neuza.
O pai dele foi localizado e pagou a passagem de retorno de avião. Para poder embarcar, foi necessário emitir um salvo-conduto, que permite transitar por um determinado território sem documentos, com validade determinada. Além disso, Francisco recebeu em Santos a segunda dose da vacina contra a covid-19, como parte do protocolo de segurança sanitária.
Com os olhos cheios de lágrimas, nesta semana, o uruguaio agradeceu as assistentes sociais. Ele não via a hora de voltar ao seu país. “É por tudo que aconteceu, agora estou perto”, falou. Francisco desembarca no Uruguai neste sábado (26), onde irá reencontrar a mulher e as duas filhas.
As assistentes sociais Neuza Ribeiro Ramos Santana e Andreia do Nascimento Oliveira Souza resolveram ajudar Francisco a retornar ao Uruguai
Isabela Carrari/Prefeitura de Santos
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »