Brasil

Megafãs de Anitta enganaram o Spotify para levar em primeiro lugar.

Segundo o site restofworld.org os fãs contornaram os termos e condições, mas uma estratégia da equipe do cantor chegou perto do limite da plataforma de streaming.

(restofworld) No dia 25 de março, a artista musical Anitta se tornou a primeira brasileira a alcançar o primeiro lugar nas paradas mundiais de música quando sua música “Envolver” se tornou a faixa mais reproduzida na playlist Daily Top 50 Global do Spotify. Foi transmitido 6,4 milhões de vezes, com 4,1 milhões desses fluxos vindos do Brasil. 

Mas seu sucesso nas paradas do Spotify não é apenas resultado do refrão cativante da música: fãs de Anitta e especialistas da indústria da música disseram ao Rest of World que parte do sucesso de “Envolver” pode ser atribuído a fãs que manipulam os algoritmos da plataforma de maneiras que potencialmente quebrou os termos e condições do Spotify. Pelo menos parte desse comportamento foi incentivado pela própria equipe de Anitta, que pressionou os fãs a inflar suas streams na plataforma.

No dia 14 de março, a conta oficial de fã de Anitta no Twitter , QG da Anitta, retweetou a postagem de outra conta de fã incentivando as pessoas a aumentar a popularidade de Anitta montando playlists com sua música e lembrando-as de “usar contas diferentes no Spotify e lembrar de trocar de conta após 20 córregos.” No dia seguinte, essa conta oficial criou um sorteio de assinaturas do Spotify Premium para usuários que enviaram capturas de tela usando o Spotify para transmitir “Envolver”. 

Rest of World contou com mais de 100 playlists no Spotify intituladas com nomes como Envolver #1, Stream Envolver, Envolver stream party e Envolver 20x. A maioria deles declarou explicitamente em suas descrições que seu objetivo é aumentar os números de streaming do Envolver. “Toque apenas uma vez por dia, não deixe ao acaso e aumente o volume”, diz uma das descrições. 

O Spotify se recusou a comentar sobre possíveis violações dos termos e condições, mas confirmou o status de Anitta como a primeira brasileira a liderar suas paradas.

Adriano Ferreira da Silva Filho, um fã de 19 anos de Ilhabela, uma cidade litorânea do estado de São Paulo, disse ao Rest of World que queria aumentar a popularidade do “Envolver” como forma de retribuir um artista que foi influente em sua vida. Assim, Filho criou uma série de playlists diferentes para tocar a música mais de 2.000 vezes por dia usando seu laptop e dois celulares para que todos pudessem tocar simultaneamente com diferentes nomes de usuário. 

“Se você só toca a faixa no repeat, o Spotify não conta como stream”, explicou Filho. “Eles acham que é um bot. Então, você tem que criar uma playlist com faixas diferentes e alternar com aquela que você quer aumentar.”

10 Ways On How To Detect A Fake Spotify Playlist | iMusician

“[Estas] são plataformas e artistas que vendem mentiras.”

Os fãs de Anitta não são os primeiros a tentar hackear o algoritmo do Spotify a favor de seu artista. Os principais lugares nas plataformas de streaming oferecem mais do que direitos de se gabar; às vezes eles podem fornecer um instantâneo de quantas pessoas irão assistir aos shows desse artista, onde os artistas têm mais chances de ganhar dinheiro. Músicos que sonhavam em estar no rádio agora querem aparecer em grandes playlists, disse ao Rest of World a estrategista de marketing Nathy Faria, coordenadora da Music Rio Academy, mesmo que tenha sido amplamente divulgado que os artistas ganham pouco ou nenhum dinheiro via Spotify, a menos que suas músicas sejam transmitidas por centenas de milhões de reproduções. 

Em julho passado, uma grande operação do Centro de Investigação de Crimes Cibernéticos do Brasil fechou 84 sites que forneciam bots de aluguel para bombear artificialmente números de streaming para artistas brasileiros. A plataforma avisa os serviços de terceiros que vendem fluxos artificiais que podem ser banidos, pois tais atividades constituem uma violação dos termos e condições. 

Brasil Combatendo Fake Streams com Operação
Brasil combate fake streams e hackers russos com ‘Operação Antidoping’
As autoridades brasileiras fecharam 84 sites de aumento de stream no Brasil em 2021 e encontraram ligações com “sites espelho” de língua russa que estavam criando os streams falsos.

A venda dos chamados streams falsos no Spotify é “um desastre”, disse Farias. “[Estas] são plataformas e artistas que vendem mentiras.” Ela disse que a falta de transparência entre plataformas de streaming como YouTube e Spotify torna difícil para os usuários distinguir o que é real do que é falso. 

A campanha “Envolver” se enquadra em uma zona cinzenta, já que aparentemente muitos dos fluxos foram gerados por um exército de fãs altamente engajados, não bots, que o Spotify se tornou muito hábil em detectar e expulsar de sua plataforma. “Do ponto de vista do marketing digital, não há nada de errado com os fãs fazendo isso. Se um artista tem pessoas dispostas a fazer isso, isso só mostra o quão poderoso eles são”, disse Faria. 

O gerente de carreira Rodolfo Lacerda, da Música em Rede, empresa de gerenciamento de música com sede em São Paulo, disse que quando viu as playlists apimentadas pensou: ‘Isso pode deixar [Anitta] em apuros?’ Mas criar listas de reprodução para seu artista favorito é um jogo justo. … Talvez se [a música] não fosse para eles, ela teria ficado na 10ª ou 9ª posição. Claro, não é algo que um artista deveria encorajar.” 

Spotify Fraud - Fake Features - YouTube

A equipe de Anitta se recusou a comentar, mas divulgou um comunicado no Instagram em 25 de março agradecendo a todos e dizendo “agora, estou chocada”. No final daquele fim de semana, “Envolver” caiu para o segundo lugar no gráfico e, uma semana depois, manteve-se estável na quinta posição. Para fãs como Filho, ainda não acabou. Ele disse que os fãs estão fazendo planos para aumentar seus números quando o novo álbum de Anitta for lançado em meados de abril.

Fonte: https://restofworld.org/

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »