Litoral

Mulher confessa ter sofrido aborto e inventado história sobre sequestro de bebê em SP; família lamenta situação: ‘momento é muito delicado’


Deise do Espírito Santo informou à polícia ter sofrido aborto no quinto mês de gestação. Na última terça-feira (3), a moradora de Santo André (ABC) esteve na Maternidade Municipal de São Vicente, no litoral de São Paulo, onde exames constataram que ela não estava grávida. Mulher que mobilizou policiais de SP ao dizer que bebê foi roubado confessa que sofreu aborto há meses e temia contar à família
Reprodução/ Facebook
A mulher de 46 anos que foi encontrada em São Vicente, no litoral de São Paulo, afirmando que havia dado à luz dentro de um carro durante um sequestro e que teve seu bebê roubado confessou, na quinta-feira (6), que sofreu um aborto quando estava no quinto mês de gestação e que inventou a história em um momento de desespero. Familiares da moradora de Santo André lamentaram o ocorrido nas redes sociais.
A Polícia Civil de Santo André, que investiga o caso, afirmou que Deise do Espírito Santos confessou durante o depoimento que perdeu o bebê no quinto mês de gestação. A técnica de enfermagem teria ‘armado’ esta história porque não saberia como contar ao namorado, que estaria muito feliz pela primeira filha.
Deise teria pegado um ônibus até o Jabaquara e uma lotação rumo à Baixada Santista. Ela foi até a praia do Itararé, em São Vicente, onde passou horas pensando no que fazer.
Segundo a Polícia Civil da Delegacia Homicídios de Santo André, a técnica de enfermagem enviou mensagens para o namorado se passando por outra pessoa, dizendo que havia encontrado o celular e que ela estaria perdida no local. Em seguida, Deise jogou os pertences em uma lixeira e aguardou a PM chegar.
Investigações
A princípio, a Polícia Civil afirma que a versão está se confirmando, porém as investigações continuarão. Uma equipe foi até São Vicente para procurar o celular descartado e as filmagens de câmeras de monitoramento das ruas por onde Deise afirma ter passado.
Segundo a polícia, as gravações estão sendo analisadas. O celular está apreendido e também será analisado pelos policiais de Santo André.
Pronunciamentos
Segundo o comunicado emitido nas redes sociais, a técnica de enfermagem, Deise do Espírito Santo, ficou com o psicológico abalado após sofrer um aborto no quinto mês de gestação e que, por isso, não teria conseguido contar aos familiares a situação. O pronunciamento foi publicado tanto pela filha de Deise, Ester do Espírito Santo de Brito, e pela sobrinha dela Karen Pasquali.
A técnica de enfermagem foi encontrada na noite desta terça-feira por policiais militares em São Vicente e afirmou que seu bebê havia sido roubado após o parto.
Sobrinha de Deise publicou uma nota de esclarecimento
Reprodução/ Facebook
“Pedimos nossas sinceras desculpas a todos que compartilharam e se empenharam junto conosco. Sabemos que, como família, fizemos a nossa parte da melhor forma possível”.
Os familiares agradeceram a mobilização da população nas redes sociais e afirmaram que não esperavam por toda essa situação.
“Agora pedimos que continuem orando, rezando e pedindo por ela e pelo Rodrigo, pois esse momento é muito delicado, e vamos nos dedicar exclusivamente para ajudar e apoiar no que for possível!”.
Ester, filha de Deise, também lamentou o ocorrido
Reprodução/ Facebook
Relembre o caso
Deise foi encontrada na noite da última terça-feira (3) por policiais militares em São Vicente, no litoral de São Paulo, e afirmou que seu bebê havia sido roubado após o parto. A moradora de Santo André afirmou aos policiais que estava grávida de oito meses e que saiu de casa após sentir contrações.
O namorado dela, Rodrigo Morais, de 38 anos, afirmou que a companheira teria entrado em um carro de aplicativo por volta de 11h30 com destino ao Hospital e Maternidade Christóvão da Gama. A Polícia Militar (PM) chegou a fazer buscas no local onde ela apontou ter sido abandonada, mas não encontrou nada.
Segundo a Maternidade Municipal de São Vicente, onde ela foi encaminhada após ser encontrada por PMs, exames de sangue não apontaram indícios de gravidez e o teste ginecológico não constatou indícios de parto.
Um boletim de ocorrência de desaparecimento foi registrado na Delegacia Sede de São Vicente e na Delegacia de Homicídios de Santo André. A Polícia Civil abriu uma investigação.
Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) afirmou que o caso citado é investigado pelo Setor de Homicídios de Santo André (SHPP).
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »