Tecnologia

Cobertura total do 5G nas capitais deve demorar mais dois anos, diz conselheiro da Anatel


Faixa principal da tecnologia precisa de estrutura completamente nova e filtragem da interferência entre sinais. Manaus e Belém devem ser as capitais com mais dificuldades. Sorocaba começa instalar sistema de iluminação pública com tecnologia 5G
Prefeitura de Sorocaba/Divulgação

Ainda deve levar dois anos para que as capitais brasileiras tenham cobertura total da faixa principal do 5G, segundo o conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) Artur Coimbra.
“O 5G exige uma estrutura completamente nova. Você precisa encomendar os equipamentos, a entrega, a instalação profissional”, relatou ao g1, durante o Seminário 5G BR, que aconteceu nesta quinta-feira (11) em São Paulo.
“Até você implantar o 5G em todas as torres que existem, em São Paulo, por exemplo, vão pelo menos uns dois anos.”
Mesmo assim, Coimbra espera uma melhora sensível do 5G até o fim do ano nas cidades onde as operadoras têm adiantado muitas instalações de antenas, como Brasília e a própria capital paulista.
GUIA: tudo sobre a internet 5G
LISTA: os celulares compatíveis com 5G
MAPA: onde estão as antenas já instaladas
De acordo com o conselheiro, a maior dificuldade na ativação é instalar os filtros nas antenas de transmissão, para impedir a interferência da nova faixa em outras frequências
“E às vezes a gente se depara com alguns sistemas que não estão cadastrados corretamente. Nos testes, percebemos que tem uma interferência e aí identificamos uma antena que era desconhecida. Por isso, essa é a fase mais sensível e complicada”, completou.
Cidades mais demoradas
Também por esse problema de interferência, Coimbra diz que as capitais com a situação mais complexa para ativar a tecnologia devem ser Manaus e em Belém, onde há uma “situação especial”.
Isso acontece por conta da característica das antenas nesses territórios, que precisarão de mais atenção aos equipamentos de filtragem contra interferências nos sinais.
“Elas possuem estações satelitais, que a gente chama de ‘Master’, que são maiores, mais potentes e com uma maior concentração de antenas. E para esses casos a gente vai precisar de filtros especialmente feitos. Então vai dar um pouco mais trabalho”, comentou.
Previsão para agosto
O Seminário 5G BR, organizado para celebrar a chegada do sinal no Brasil, contou com participações de lideranças do setor de telefonia, autoridades de outros países e do ministro das Comunicações, Fábio Faria.
Faria disse esperar que a tecnologia tenha um avanço importante ainda em agosto. “O que nós temos o nosso radar que até o final desse mês pelo menos 25 capitais já estarão funcionando o 5G”, afirmou.
Ele, no entanto, também citou Manaus como a cidade que traz “preocupação maior” para a inauguração do 5G.
Outras capitais
Até agora, cinco capitais já receberam a novidade: Brasília, Porto Alegre, João Pessoa, Belo Horizonte e São Paulo. A Anatel espera que a cobertura chegue em breve a Rio de Janeiro, Curitiba, Salvador e Goiânia, mas ainda não definiu datas.
Nesta sexta-feira (12), um grupo da agência reguladora se reunirá para decidir quais serão as próximas capitais a receber a novidade.
Veja onde estão as antenas em todas as capitais com 5G
Para ativar o sinal nessas capitais, a Anatel estipula que as operadoras deverão disponibilizar uma estação a cada 100 mil habitantes. Até o dia 31 de julho de 2024, todas as capitais e o Distrito Federão terão que chegar à taxa de uma antena a cada 30 mil habitantes.
O prazo para a conexão estar disponível em todos os municípios brasileiros com mais 30 mil habitantes é só em 2029.
G1 testa velocidade do 5G em São Paulo

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »