G1Litoral

Advogado de procurador preso após espancar a chefe se diz indignado por decisão da Justiça de negar troca de prisão por internação


Demétrius Oliveira de Macedo foi preso por agredir a procuradora-geral de Registro Gabriela Samadello Monteiro de Barros. Vídeo flagra procuradora sendo brutalmente agredida em prefeitura em São Paulo
O advogado do procurador Demétrius Oliveira de Macedo, de 34 anos, que foi preso após espancar a chefe Gabriela Monteiro de Barros durante o expediente na Prefeitura de Registro, no interior de São Paulo, emitiu uma nota afirmando estar indignado com a decisão da Justiça da Vara Criminal de Registro. O juíz indeferiu o pedido para que Demétrius tivesse a prisão preventiva substituída por internação provisória. Ao g1, nesta quinta-feira (15), a defesa do procurador afirmou que está trabalhando visando a saúde do cliente.
Um laudo elaborado pelo psiquiatra forense Guido Palomba concluiu que Demétrius Oliveira de Macedo, de 34 anos, tem esquizofrenia paranoide [sofre de alucinações] e que precisa ser internado em um local propício e não permanecer em unidade prisional. O documento foi contratado pela defesa do réu.
Com base no parecer, o advogado de Demétrius, Marco Antônio Modesto, pediu em 29 de agosto que o juiz substituísse a prisão preventiva pela internação provisória em hospital psiquiátrico particular de indicação da família, ou que fosse encaminhado a um hospital de custódia e tratamento psiquiátrico do Estado. Porém, o pedido foi negado.
“O que a defesa contratou foi a prestação do serviço do Ilustre Psiquiatra e não o resultado. Ademais, contestar a seriedade e competência de um Médico Psiquiatra Forense como o Dr. Guido Palomba, que possui um currículo invejável e único na área, é totalmente inconcebível”, disse o advogado, em nota.
Agressor de procuradora foi notificado sobre abertura de processo administrativo
Reprodução
Modesto também afirmou que, apesar de respeitar a decisão do juíz, fica indignado com o indeferimento ao pedido de transferência de Demétrius para cumprimento da custodia domiciliar ou internação provisória em clinica ou hospital psiquiátrico. “Demétrius possui doença grave que foi a real causadora dos fatos em questão”, disse o advogado.
Ele ressaltou, em nota, que realizará todos os recursos necessários para que o procurador obtenha o devido tratamento médico adequado a que tem direito. “O Dr. Demétrius é acometido de uma doença psiquiátrica incurável, porém deve ser controlado através do tratamento médico apropriado. Os fatos ocorridos são lamentáveis e infelizmente foram causados pela doença e não por vontade consciente”.
A reportagem do g1 questionou Modesto sobre quais serão os próximos passos da defesa, porém, ele não disse quais medidas serão tomadas.
“Não estamos revelando os detalhes da parte estratégica, se vamos entrar com recurso ou habeas corpus. Tem os trâmites legais que correm a partir dessa decisão. Vamos utilizar todas as ferramentas necessárias juridicamente. Estamos fazendo um trabalho mais discreto possível, o intuito é trabalhar em prol da saúde do procurador Demétrius, que é a nossa preocupação maior”, disse.
LEIA TAMBÉM:
Funcionária que denunciou procurador diz que ele ‘desprezava mulheres’
Mulheres protestam em frente à delegacia de Registro
Defesa de Demétrius alega que procurador sofre com ‘problemas de ordem psiquiátrica’ e que colegas já sabiam
Leia perguntas e respostas sobre o caso
Relembre o caso
A procuradora-geral do município de Registro, no interior de São Paulo, foi agredida por um colega dentro da própria prefeitura, onde trabalham. Gabriela Samadello Monteiro de Barro, de 39 anos, ficou com o rosto ensanguentado após levar socos e pontapés.
Procuradora foi agredida por diversas vezes no rosto por colega de prefeitura
Arquivo pessoal
A ação foi filmada por outra funcionária do setor, e as imagens mostram o também procurador Demétrius Oliveira Macedo, de 34 anos, espancando a vítima. Ele foi preso dias depois, na manhã de 23 de junho, em São Paulo. A justiça havia determinado a detenção dele no dia anterior.
Durante o ato criminoso, ele a xinga diversas vezes e, inclusive, empurra demais profissionais que tentam impedir os golpes. (veja o vídeo abaixo).
Vídeo flagra procuradora sendo brutalmente agredida por colega em prefeitura em SP
Initial plugin text
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »