Tecnologia

Comediante Kathy Griffin é suspensa do Twitter após trocar nome da conta para Elon Musk


Em manifestação posterior, o bilionário disse que não haverá mais avisos antes da suspensão de contas; o empresário havia prometido um comitê para analisar casos de suspensão, mas não informações sobre o grupo estar em atividade. Comediante e atriz americana Kathy Griffin
Reprodução/ Instagram
A comediante e atriz americana Kathy Griffin foi suspensa do Twitter após fazer “piada” com Elon Musk, novo dono da rede social. Griffin trocou seu usuário para “Elon Musk”.
Não é possível afirmar que a alteração de nome tenha motivado a suspensão. Mas, após a conta da comediante ser desativada, Musk, o verdadeiro, disse em uma publicação na própria rede que “daqui para frente, qualquer pessoa que falsificar identidade sem especificar claramente ‘paródia’ será suspenso permanentemente”.
Montagem mostra publicações de Elon Musk. Na primeira, lê-se “comédia agora é legal no Twitter”. Na segunda, lê-se “daqui para frente, qualquer conta que lidar com a falsificação de identidade sem especificar claramente a ‘paródia’ será suspensa permanentemente”
Reprodução
Em resposta a um jornalista, Musk disse que a conta de Griffin foi suspensa por “se passar por comediante”.
LEIA MAIS:
Twitter: Como Elon Musk justificou demissão de funcionários
Diretora do Twitter recebe críticas após ser flagrada dormindo na sede da empresa
Selo de verificado do Twitter deve custar US$ 8 por mês, anuncia Musk
Após a suspensão, Kathy reagiu e acabou reativando o Twitter de sua mãe, Maggie Griffin, que morreu em 2020. No primeiro tuíte, disse: “Estou de volta do cemitério para dizer”. Uma hashtag criada pela atriz gerou grande engajamento entre os fãs.
O bilionário afirmou ainda que que não haverá mais avisos antes de suspender contas. Logo após a compra do Twitter, Musk havia prometido que a rede social não suspenderia nenhum usuário sem que um comitê analisasse o caso. Ele não divulgou, até o momento, os membros do comitê ou mesmo a sua criação.
Na prática, não haverá chance de alterar qualquer comportamento que possa, eventualmente, infringir as regras da rede.
Além da comediante, o ator Rich Sommer e o cartunista Jeph Jacques tiveram suas contas suspensas pelo mesmo motivo.
Conta do ator Rich Sommer suspensa no Twitter
Reprodução
Griffin criou, no começo de novembro, uma conta em uma rede social similar ao Twitter, a Mastodon. Após a compra do Twitter por Musk, a Mastodon registrou um aumento no número de usuários.
O que é a rede social Mastodon, que cresce atraindo usuários insatisfeitos com o Twitter
Conheça 5 aplicativos que podem ser alternativas ao Twitter
Selo de verificado
O novo proprietário do Twitter defendeu no domingo (6) o criticado lançamento de um serviço de assinatura paga para verificar as contas dos usuários. “A verificação generalizada democratizará o jornalismo e empoderará as vozes das pessoas”, tuitou Musk.
Segundo agências, a resposta ocorreu em meio às preocupações de associações, anunciantes e até das ONU para os Direitos Humanos, que temem um aumento no discurso de ódio e da desinformação online.
Com o novo plano, os usuários que pagarem 8 dólares por mês pelo serviço de assinatura da plataforma, chamado Twitter Blue, receberão o selo azul que indica que a conta está verificada.
Essa característica é fornecida atualmente apenas às contas que cumprem certos requisitos, como ser uma figura pública, abordagem que Musk descreveu como um “sistema de senhores e vassalos”.
“O Twitter tem que se tornar de longe a fonte mais precisa de informações sobre o mundo. Essa é a nossa missão”, tuitou Musk no domingo. No entanto, muitos observadores temem o surgimento de contas falsas.
O selo deve fazer parte do novo “Twitter Blue”, versão paga da rede social que será reformulada por Musk. Atualmente o distintivo é concedido a celebridades, políticos, atletas e jornalistas, sem cobranças adicionais.
Musk demite funcionários
Elon Musk dá início ao processo de demissões em massa no Twitter.
Na sexta-feira (4), o bilionário Elon Musk deu início a um processo de demissão em massa na empresa. Funcionários cortados da empresa usaram o LinkedIn para lamentar a saída e buscar por novas oportunidades profissionais.
Uma semana depois de comprar o Twitter, o novo dono deverá cortar metade dos cerca de 7,5 mil funcionários, para reduzir até US$ 1 bilhão em custos.
Antes disso, logo no dia em que a compra por Musk foi confirmada, ele demitiu os principais executivos da rede social, inclusive o presidente-executivo, com quem já tinha batido boca na internet.

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »