Mundo

Proprietários de veículos Tesla chineses protestam contra corte surpresa nos preços dos carros


Os consumidores de um dos maiores mercados globais de veículos elétricos se sentem lesados pelos cortes poucas semanas depois de terem comprado seus carros. Veículos Model 3 fabricados na China da Tesla são vistos durante um evento de entrega na fábrica da montadora em Xangai, China,
Reuters
Centenas de proprietários de carros da Tesla se reuniram nos showrooms e centros de distribuição da montadora na China no fim de semana, exigindo compensações financeiras e crédito após cortes repentinos de preços que, segundo eles, significaram que pagaram caro por carros elétricos comprados anteriormente.
Neste sábado, cerca de 200 compradores recentes do Tesla Model Y e Model 3 se reuniram em um centro de entrega da Tesla em Xangai para protestar contra a decisão da montadora dos Estados Unidos de reduzir os preços pela segunda vez em três meses na última sexta-feira.
Muitos disseram acreditar que os preços cobrados pela Tesla por seus carros no final do ano passado não seriam cortados tão abruptamente ou tão profundamente quanto a montadora acaba de anunciar em um movimento para estimular as vendas e apoiar a produção em sua fábrica em Xangai. O vencimento programado de um subsídio do governo no final de 2022 também levou muitos a finalizar suas compras.
Vídeos postados nas redes sociais mostraram multidões nas lojas da Tesla e centros de entrega em outras cidades chinesas, de Chengdu a Shenzhen, sugerindo uma reação mais ampla do consumidor.
Após os descontos surpresa de sexta-feira, os preços dos veículos elétricos da Tesla na China estão agora entre 13% e 24% abaixo dos níveis de setembro.
Analistas disseram que a decisão da Tesla provavelmente aumentará suas vendas, que caíram em dezembro, e forçará outros fabricantes de veículos elétricos a cortar preços também em um momento de demanda fraca no maior mercado mundial de carros movidos a bateria.
“Os cortes de preços fazem parte deste ciclo da indústria de veículos elétricos em uma economia mais branda com a concorrência aumentando na China”, disse Daniel Ives, analista que acompanha a Tesla na Wedbush Morgan, em um tweet na sexta-feira.
Enquanto as montadoras estabelecidas costumam dar descontos para gerenciar estoques e manter as fábricas funcionando quando a demanda enfraquece, a Tesla opera sem concessionárias e preços transparentes fazem parte de sua imagem de marca.
“Pode ser uma prática comercial normal, mas não é assim que uma empresa responsável deve se comportar”, disse um proprietário da Tesla que protestou no centro de entregas da empresa no subúrbio de Minhang, em Xangai, no sábado, e deu seu sobrenome como Zhang.
Ele e os outros proprietários da Tesla, que disseram ter recebido a entrega nos últimos meses de 2022, afirmaram estar frustrados com o corte abrupto de preço de sexta-feira e a falta de explicação da Tesla para os compradores recentes.
Zhang disse que a polícia facilitou uma reunião entre a equipe da Tesla e os proprietários reunidos, na qual os proprietários entregaram uma lista de demandas, incluindo um pedido de desculpas e compensação financeira ou outros créditos. Ele acrescentou que a equipe da Tesla concordou em responder até a próxima terça-feira.
‘Devolva o dinheiro’
Outros vídeos que parecem ser de proprietários de Tesla protestando também foram postados em plataformas de mídia social chinesas no sábado.
Um vídeo, que a Reuters verificou ter sido filmado em uma loja da Tesla na cidade de Chengdu, no sudoeste, mostrava uma multidão gritando: “Devolva o dinheiro, devolva nossos carros”.
Outro, que parecia ter sido filmado em Pequim, mostrava carros da polícia chegando para dispersar a multidão do lado de fora de uma loja da Tesla.
A Reuters não conseguiu verificar o conteúdo de nenhum dos vídeos.
A Tesla não planeja compensar os compradores que aceitaram a entrega antes do corte de preço mais recente, disse um porta-voz da Tesla China à Reuters no sábado.
Ele não respondeu quando solicitado a comentar os protestos.
A China foi responsável por cerca de um terço das vendas globais da Tesla em 2021 e sua fábrica em Xangai, que emprega cerca de 20.000 trabalhadores, é a planta mais produtiva e lucrativa.
Os analistas estão otimistas sobre o potencial dos cortes de preços da Tesla para impulsionar o crescimento das vendas em um momento em que falta um ano para o anúncio de seu próximo veículo novo, o Cybertruck.
“Em nenhum outro lugar do mundo a Tesla enfrenta o tipo de concorrentes que eles têm aqui [na China]”, disse Bill Russo, chefe da consultoria Automobility Ltd em Xangai.
“Eles estão em um mercado de veículos elétricos muito maior com empresas que podem precificar de forma mais agressiva do que podiam até agora.”
Em 2021, a Tesla enfrentou uma tempestade de relações públicas depois que um cliente insatisfeito subiu em um carro no Salão do Automóvel de Xangai para protestar contra a maneira como a empresa tratou suas reclamações sobre os freios do veículo.
A Tesla respondeu pedindo desculpas aos consumidores chineses por não abordar as reclamações em tempo hábil.

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »