Tecnologia

O que fez Elon Musk se tornar o primeiro a perder US$ 200 bilhões de fortuna?


Fortuna do empresário, que chegou a US$ 340 bilhões, agora é avaliada em US$ 126 bilhões. Queda está relacionada à montadora de carros elétricos Tesla e à compra do Twitter. Elon Musk
Reuters
O bilionário Elon Musk, dono do Twitter e da montadora de carros elétricos Tesla, é o primeiro a perder mais de US$ 200 milhões em patrimônio. Após atingir um pico de US$ 340 bilhões em 4 de novembro de 2021, ele tem agora US$ 126 bilhões, segundo a Bloomberg.
A queda na fortuna de Musk é explicada por dois fatores principais:
O valor da Tesla, que chegou a US$ 1 trilhão em outubro de 2021, caiu e está em US$ 357 bilhões – Musk tem cerca de 13% da empresa
A venda de mais de US$ 39 bilhões em ações da Tesla por Musk desde dezembro de 2021 – o empresário usou parte do valor para financiar a compra do Twitter
Essas mudanças fizeram a Tesla deixar de ser o maior ativo de Musk. A companhia ainda representa US$ 40,3 bilhões da fortuna do empresário, mas foi superada pela empresa de foguetes SpaceX, que equivale a US$ 48,9 bilhões de seu patrimônio.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
LEIA TAMBÉM:
‘Big techs’ perdem quase US$ 4 trilhões em valor de mercado em 1 ano
A era do metaverso chegou? Veja como está ‘universo virtual’ que é aposta do Facebook
O que acontece com a Tesla?
A Tesla tem registrado um enfraquecimento de demanda na China, seu principal mercado. Para lidar com o cenário, a montadora tem baixado preços nos últimos meses, o que não agradou investidores nem consumidores que tinham pagado o valor cheio pelos veículos.
A empresa até teve recorde ao vender 1,31 milhão de carros em todo o mundo em 2022. O resultado representou crescimento de 40% em relação ao ano anterior, mas não atingiu sua meta de registrar 50% de alta.
Musk afirmou em dezembro que a Tesla está se saindo melhor do que nunca, mas indicou que altas de juros nos Estados Unidos têm atrapalhado.
“Nós não controlamos o Federal Reserve [equivalente americano ao Banco Central]. Esse é o verdadeiro problema aqui”.
Veículos Model 3 fabricados na China da Tesla são vistos durante um evento de entrega na fábrica da montadora em Xangai, China,
Reuters
No ano passado, a empresa também foi afetada pela Covid-19 na China, que levou a fechamentos temporários em sua fábrica em Xangai, e por problemas na cadeia de abastecimento.
Neste início de 2023, a empresa reduziu o ritmo de produção em Xangai, informou a Reuters. A unidade tem cerca de 20 mil trabalhadores e respondeu por mais da metade da produção da montadora no primeiro trimestre de 2022.
O site Electrek, especializado em carros elétricos, informou ainda que a empresa pretende congelar contratações e fazer uma rodada de demissões ainda no primeiro trimestre.
Após um início bastante turbulento à frente do Twitter, uma parcela dos investidores da Tesla também teme que a compra da rede social faça Musk perder o foco com a produção de carros.
A queda na fortuna do empresário fez ele ser ultrapassado em dezembro por Bernard Arnault como mais rico do mundo. Com uma fortuna de US$ 175 bilhões, Arnault é dono da empresa de artigos de luxo LVMH, que inclui marcas como Louis Vuitton, Dior, Sephora e Tiffany’s.
A queda das ‘big techs’
Juan Silva/ g1
Elon Musk e o Twitter: Uma relação antiga e polêmica

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »