Tecnologia

Grupo usado por mulher apontada como organizadora de atos terroristas em Brasília é bloqueado


Segundo o aplicativo de mensagens, o bloqueio aconteceu após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Ana Priscila Azevedo foi presa, nesta terça-feira, pela PF
Reprodução
O grupo de Telegram usado por Ana Priscila Azevedo, apontada pela Polícia Federal como uma das organizadoras dos atos terroristas do último dia 8 de janeiro, em Brasília, foi bloqueado. No lugar, há uma mensagem da plataforma informando que o bloqueio é fruto de decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).
Ana Priscila foi filmada participando dos atos terroristas do dia 8. Na ocasião, as sedes dos três Poderes (Congresso, STF e Planalto) foram invadidas e depredadas.
Na terça-feira (10), Ana Priscila foi detida por ordem do STF em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, e levada para a capital.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
Pelo menos dois dias antes dos ataques às sedes dos três Poderes, a bolsonarista usava o grupo para convocar golpistas para irem para Brasília “tomar o poder de assalto”.
Apesar de ter sido presa só na terça, após trabalho de investigação, Ana Priscila aparecia em vídeos no acampamento golpista no Quartel-General do Exército, em Brasília. Até a última atualização desta reportagem, o g1 não tinha conseguido contato com a defesa.
Ana Priscila Azevedo fez vídeo dentro do Congresso, no domingo (8), durante invasão
No dia dos ataques, Ana Priscila aparece perto da rampa do Congresso Nacional, um dos lugares atacados pelos terroristas. Há também imagens que mostram a mulher dentro do Palácio do Planalto durante a invasão.
As mensagens no grupo
O grupo foi criado em dezembro e tinha quase 30 mil membros. Por meio dele, Ana Priscila convocava golpistas bolsonaristas a irem para Brasília. Ela cita, no dia 6 de janeiro, “caravanas vindas de todo o Brasil” e diz que “a Babilônia vai cair”.
Um vídeo compartilhado por Ana Priscila mostra golpistas carregando um ônibus com garrafas de água. Na legenda do vídeo, a administradora do grupo diz que não colocará datas e locais “para dificultar a ação do inimigo”.
Ana Priscila Azevedo (à direita) durante invasão ao Palácio do Planalto, em Brasília. A foto foi divulgada por ela no grupo
Reprodução
Outro vídeo mostra o ônibus que foi carregado com mantimentos e diz que em 6 de janeiro um grupo de golpistas deixou Sorocaba para ir à Brasília. “Estão vindo tomar o poder”, diz texto publicado por pela administradora.
Também há vídeos indicando ônibus com golpistas saindo de Jundiaí e Mogi das Cruzes, em São Paulo, Londrina e Umuarama, no Paraná, além de Tangará da Serra, no Mato Grosso.

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »