Tecnologia

Novo antibiótico capaz de eliminar superbactérias pode ter origem em doença que ataca cana-de-açúcar


Albicidina é produzida por uma bactéria que causa escaldadura das folhas da cana e também é eficaz contra bactérias resistentes aos antibióticos atuais. Escultura que representa bolso de albicidina, pílula de antibiótico e placa de Petri para simbolizar uma ameaça causada por bactérias.
Alina Kurokhtina/John Innes Centre
A criação de um novo antibiótico, capaz de eliminar bactérias super-resistentes, pode ter origem em uma das principais pragas em plantações de cana-de-açúcar. Chamado de albicidina, o promissor antibiótico é produzido por uma bactéria que causa a doença conhecida como “escaldadura-das folhas” da cana, que tem potencial de destruir não só uma planta, mas todo um canavial.
Mas a albicidina também é altamente eficaz na destruição de bactérias que escapam aos antibióticos atuais e à esterilização, e são altamente temidas nos ambientes hospitalares por causarem infecções e morte de pacientes vulneráveis, internados em UTIs, por exemplo.
A pesquisa que desvenda a atuação molecular da albicidina e projeta boas perspectivas para futuros estudos foi publicada na “Nature Catalyses” nesta segunda-feira (23). No estudo:
Os cientistas descobriram como é a estrutura molecular da albicidina e como ela interage com o seu principal alvo, a enzima bacteriana girase, presente em plantas e bactérias;
De acordo com a pesquisa, a albicidina forma um “L” para se ligar tanto com a girase quanto com o DNA, o que é considerado um tipo único de interação;
Essa ligação provocada pela albicidina inibe a ação completa da enzima e, com isso, provoca a morte de bactérias.
A tal “ligação em L” que ocorre em nível molecular funciona como se uma chave inglesa fosse jogada entre engrenagens de um motor: torna inviável a ação das bactérias.
O passo é importante para o desenvolvimento farmacêutico do futuro antibiótico.
“Parece que, pela natureza da interação, a albicidina tem como alvo uma parte realmente essencial da enzima e é difícil para as bactérias desenvolverem resistência a isso”, disse o médico Dmitry Ghilarov, líder do grupo de pesquisa no John Innes Centre, no Reino Unido.
Colheita da cana-de-açúcar
Tadeu Fessel/Unica
LEIA TAMBÉM:
Cientistas descobrem uma nova estrutura no cérebro humano
Testes mostram que vacina contra o HIV da Janssen é segura, mas ineficaz
Por que é tão boa a sensação de comer chocolate, segundo cientistas
Os pesquisadores, então, começaram a explorar essa ligação e fazer mais modificações na albicidina, com o objetivo de melhorar sua eficácia e propriedades farmacológicas. Os testes mostraram que ela é eficaz contra perigosas bactérias, como a Escherichia coli, Salmonella typhimurium, Pseudomonas aeruginosa e Klebsiella pneumoniae.
“Acreditamos que este é um dos novos candidatos a antibióticos mais empolgantes em muitos anos. Possui eficácia extremamente alta em pequenas concentrações e é altamente potente contra bactérias patogênicas, mesmo aquelas resistentes aos antibióticos amplamente utilizados, como as fluoroquinolonas”, explicou Ghilarov.
A pesquisa, agora, busca colher novos frutos. O próximo passo será ir atrás de mais pesquisadores e de um financiamento para testar a albicidina em ensaios clínicos em humanos.

Deixe seu comentário sobre esta noticias

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »