Turismo

Conheça Xangai, a Nova York da China, primeira parada da viagem do presidente Lula


Tradição e modernidade se misturam na cidade de mais de 25 milhões de habitantes e que está no ranking das maiores do mundo. Templos e jardins milenares ocupam um lado de Xangai. Do outro, estão alguns dos prédios mais altos do mundo. Prédios em Xangai parcialmente encobertos por nuvens em setembro de 2022.
Aly Song/ Reuters
Xangai, primeira parada da comitiva de Lula na viagem à China, é a maior e mais cosmopolita cidade do país. Com mais de 25 milhões de habitantes, ela está no ranking das maiores cidades do mundo e ganhou o apelido de “a Nova York chinesa”, uma alusão ao seu skyline, com prédios gigantescos que ficam às margens do rio Huangpu (veja mais abaixo).
Mas a cidade é muito mais do que o Pudong, região futurista onde está o centro financeiro. Xangai, que teve sua origem há mais de 8.000 mil anos, preserva em sua história a arquitetura colonial do passado. Do outro lado do rio, no bairro Bund, ficam os prédios mais tradicionais e emblemáticos: a Alfândega, o Hong Kong & Xangai Bank e o Peace Hotel, além de restaurantes famosos e o agito da vida noturna.
Xangai ainda se recupera de um lockdown que durou 65 dias no ano passado. Depois da liberação, a cidade reabriu a toda velocidade os negócios, transporte, produção e consumo.
Confira as principais atrações e curiosidades de Xangai:
Tradição: jardins e templos
As tradições chinesas nos hábitos, nas artes e até nos templos religiosos estão de certa forma preservadas na cidade. Museus, galerias de arte e shows animam a cena cultural de Xangai.
🌿 O Jardim YuYuan (Jardim da Felicidade), uma antiga propriedade da Dinastia Ming de 1559, é um dos pontos mais procurados pelos turistas. São pavilhões rodeados por lagos, jardins ornamentais e rochas com as casas vermelhas e de telhados pontudos, imagem tradicional chinesa.
▶️ Entre os templos, o visitante poderá escolher o Cheng Huang Miao (Templo Cidade de Deus), que fica perto do jardim ou o templo Longhua, um dos remanescentes da Antiga Xangai da virada do século 19 para o 20.
Templo em Xangai (Arquivo)
France Presse
🖼️ Já o Museu de Xangai é um museu de arte chinesa antiga, que fica na Praça do Povo. Ele é considerado um dos primeiros museus modernos do país, com uma coleção de mais de 120 mil peças. Está lá um dos três espelhos de bronze transparente da Dinastia Han. São 11 galerias e 3 salas especiais de exposições temporárias. Uma delas é só para a história da caligrafia chinesa.
👩‍❤️‍👨 Na Praça do Povo também acontece uma atividade curiosa na cidade. No fim de semana à tarde, mães e pais preocupados com a demora dos filhos em se casar costumam ocupar áreas do espaço verde para fazer propaganda dos seus pupilos em folhas de papel, preenchidas à mão, quase sempre apoiadas em um guarda-chuva (imagem abaixo). Os anúncios trazem idade e altura das moças e rapazes, seguidas de descrições elogiosas e uma série de exigências quanto ao perfil do potencial parceiro(a), mas fotos são raras.
Os arranha-céus de Xangai
Bandeira chinesa em Xangai
REUTERS
🏙️ A arquitetura moderna da cidade reúne dezenas de arranha-céus e alguns deles estão na lista dos mais altos do mundo. No skyline da cidade, um dos destaques é a torre da TV Oriental Pearl, que tem 468 metros de altura. O desenho do prédio de 14 andares foi baseado em um poema da Dinastia Tang sobre um som assombrador feito por um alaúde, instrumento parecido com um violão. A torre de TV é aberta à visitação e recebe três milhões de visitantes por ano.
⬆️Já a Shanghai Tower tem 128 andares e 632 metros de altura. O prédio foi inaugurado em 2015, e é o mais alto da China e o segundo mais alto do mundo, superado apenas pelo Burj Khalifa em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.
🛎️ Em 2021, um hotel abriu suas portas no topo da torre. O J Hotel pertence ao grupo Jin Jiang International Hotels, propriedade majoritária do Estado chinês e tem 165 quartos. Os preços de alguns quartos também estão nas alturas. Uma suíte iluminada por lustres de cristal e com uma sauna particular pode custar mais de 10 mil dólares.
🌆 O Shanghai World Financial Center também está entre os maiores prédios da cidade. Inaugurado em 2008 ele abriga escritórios, hotéis, espaços de conferências e comércio. O prédio tem 492 metros de altura e 101 andares e também está na lista dos mais altos da China. O edifício ganhou o apelido de “abridor”, por causa do seu formato que lembra um abridor de garrafas. O espaço vazio no topo foi projetado para reduzir a pressão do vento.
🙅‍♂️Em 2021, a China decidiu limitar construção de prédios ‘faraônicos’. A nova regra faz parte de uma política mais ampla de inibir a construção de “projetos faraônicos” e inclui também uma proibição de “arquitetura feia”.
Vista noturna dos prédios em Xangai. Ao fundo, com iluminação azul, o Shanghai World Financial Center, conhecido como ‘abridor”.
Leopoldo Godoy/G1
LEIA TAMBÉM:
FOTOS: Arranha-céu abre observatório sensorial a 300 metros de altura em Nova York
Hora do ‘tchibum’: conheça 10 piscinas incríveis ao redor do mundo
Burj Khalifa, prédio mais alto do mundo, tem quase 5x a altura do novo maior edifício de SP
A eficiência no transporte
Estação de Longyang, ponto de partida do Maglev de Xangai
Leopoldo Godoy/G1
🚅 A cidade tem uma eficiente rede de transportes, mas sua principal atração é o trem maglev, o único trem de levitação magnética que faz percursos comerciais e chega a uma velocidade máxima de 431 quilômetros por hora.
🕐O maglev faz em cerca de 8 minutos o trajeto de 30 quilômetros que separa o Aeroporto Internacional de Pudong da Estação Longyang Road, em Pudong.
🧲 O maglev utiliza o princípio da atração e repulsão que se cria entre dois campos magnéticos. Tanto o trem como os trilhos possuem potentes eletroímãs, por isso a repulsão permite que o trem se eleve uns centímetros sobre as vias. O turista pode conhecer melhor a história dos trens em uma visita ao museu que fica na parte inferior da Estação Longyang Road.

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »