Mundo

‘Gritos, mulheres e crianças chorando pelas ruas’; cearenses em Marrocos relatam momentos após terremoto


O abalo sísmico de magnitude 6,8 deixou mais de 1 mil mortos, com mais de 1.200 feridos. Cearenses que estavam no local relatam ao g1 o que testemunharam do momento. Pesquisador cearense Eduardo Guimarães relata momentos após terremoto em Marrocos
A empresária cearense Laura Céspedes testemunhou momentos de tensão e medo de pessoas após o terremoto de magnitude 6,8 que atingiu o país nesta sexta-feira (8). A empresária estava em viagem com a família pelo Marrocos. Ao g1 ela relatou que ouviu barulho muito forte e tudo ao seu redor tremia. Cearense ouviu gritos e viu mulheres e crianças chorando pelas ruas.
“Jantamos no hotel em Marrakech e estava tudo bem e por volta de onze horas da noite estávamos todos dormindo e começaram os tremores muito fortes. Nunca tínhamos vivido isso. As paredes, o chão, os lustres, tudo era um barulho muito forte. E a reação de algumas pessoas foi de descer do prédio e a nossa [da família] foi deitar-se no chão. E quando os tremores pararam todo mundo saiu para rua e muita correria. Muitos gritos, mulheres e crianças chorando”.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
Cearense fazia viagem em família ao Marrocos quando país foi atingido por terremoto
O abalo sísmico deixou mais de 1 mil mortos, com mais de 1.200 feridos. Terremoto ocorreu a cerca de 72 quilômetros da cidade de Marrakesh, às 23h locais (20h de Brasília). O tremor foi sentido em outros países: há relatos em veículos de imprensa de Portugal, Espanha e Argélia. O terremoto aconteceu a uma profundidade de 18,5 quilômetros, segundo o USGS.
LEIA TAMBÉM:
Terremoto de magnitude 6,8 atinge o Marrocos
Vice-governadora do Ceará passa por terremoto de magnitude 6,8 em viagem ao Marrocos
FOTOS: veja imagens da destruição provocada pelo forte tremor no Marrocos
Terremoto danificou igrejas e 400 casas no Ceará nos anos 1980; entenda por que o Nordeste é afetado
Brasileiros registram situação de Marrakech após terremoto.
Eduardo Guimarães
Laura Céspedes afirmou ainda que após sair do hotel correu com a família para uma área aberta, mas havia muita gente. Além de existir pessoas pelas ruas e avenidas, muitas fugiram para o aeroporto para tentar sair do país, mas ela recebeu a informação que o aeroporto estava um caos.
“Encontramos uma área aberta para ficar uma rua e tinha muita gente já tarde de madrugada. Demorou muito tempo sair notícias sites alguma informação e optamos por ficar em um lugar para ficar. Não tivesse nada de cair em cima da gente. Voltamos para o hotel para ficar em segurança. Tentamos ajuda das autoridades, mas não conseguimos ajuda. Todas as pessoas fugiram para o aeroporto um caos, não tem voos, uma das pessoas do nosso grupo está grávida e estamos sem ter o que fazer, desesperados”, disse.

O diretor e pesquisador cearense do Geopark Araripe, Eduardo Guimarães, participa de um congresso da Unesco em Marrakesh. Eduardo Guimarães afirmou que viu telhas, calhas e estruturas de muitas casas caindo.
“Estávamos hospedados na cidade velha de Marrakech. Exatamente às 23h10 da noite iniciou o tremor, e questão de um minuto o tremor foi aumentando muito, muito pânico. Vi pessoas saindo de suas casas e indo para as vielas. Eu vi desabamentos, calhas, telhas, falhas estruturais das casas e todos indo para avenida”, afirmou.
“Muitas pessoas em situação de risco. Há também riscos de explosão, atropelamento, incêndio, dentre muitas coisas. Os primeiros minutos foram muito tensos. Muita gente alojada no meio da rua e ao ar livre. Depois de muito tempo, por volta das sete horas da manhã que fomos para um hotel. Muitas mortes e feridos na região de Marrakesh. Estamos a 60 km do epicentro e agora ações tem que haver ações humanitárias para dar suporte as famílias”, disse.
Eduardo Guimarães fez o registro de casas e prédios desabando após terremoto no Marrocos.
Eduardo Guimarães/Arquivo Pessoal
Vice-governadora presencia terremoto
Vice-governadora do Ceará fala sobre terremoto que presenciou em Marrocos
“Nós presenciamos centenas de famílias desabrigadas, nas ruas, monumentos que viraram ruínas”. O relato é da vice-governadora do Ceará, Jade Romero, que estava em comitiva oficial em Marrakech.
Em vídeo, Jade Romero esclarece que está em segurança e já se distanciou do epicentro do terremoto. “Já deixamos Marrakech, saímos do epicentro do acontecido e tá tudo bem com todos nós que fazemos parte dessa comitiva”.
Jade disse ainda que a comitiva está se organizando para deixar o país em breve. Seis pessoas fazem parte da equipe governamental.
A vice-governadora cumpria agenda oficial no país africano para participar da X Conferência Internacional de Geoparques da Unesco, que se realizará em Marrakech. O evento, contudo, foi cancelado, segundo Jade. O encontro congregaria participantes de 195 geoparques, de 48 países.
Terremoto de magnitude de 6,8 atinge Marrocos nesta sexta (8) e deixa mortos
? Participe da comunidade do g1 CE no WhatsApp e receba no seu celular as notícias do estado
Assista aos vídeos mais vistos do Ceará

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »