Guarujá

Influenciador cria campanha contra ‘leucemia felina’ após gata ser diagnosticada e morrer; VÍDEO


Felv (Feline leukemia virus) é conhecida como leucemia felina. Raphael Gomes dos Santos, de 23 anos, promoverá um evento gratuito de testagem, vacinação e conscientização contra a doença após perder sua gatinha. Influenciador cria campanha contra leucemia felina após gata falecer deste vírus desconhecido pelos tutores
Arquivo Pessoal e Reprodução/Instagram @mayacontrafelv
O estudante de Veterinária e influenciador digital Raphael Gomes dos Santos, de 23 anos, transformou um momento de luto em solidariedade. Ele criou uma campanha gratuita de testagem, vacinação e conscientização contra a Felv (Feline leukemia virus), conhecida como leucemia felina, após a gata Maya morrer em decorrência deste vírus desconhecido pela maioria dos tutores.
Segundo a veterinária especialista em medicina felina, Maria Alessandra Del Barrio, de 51 anos, a Felv afeta o sistema de defesa dos gatos, semelhante ao que a Aids causa em humanos. Com a imunidade baixa, o vírus desencadeia doenças como leucemia, anemia e linfomas.
Pouco menos de um mês após descobrir que a Maya tinha Felv, Raphael disse ter sentido uma ‘bolinha’ na barriga dela e iniciou uma série de exames. A gata, de três anos, foi diagnosticada com um linfoma agressivo multicêntrico – um tipo de câncer que também afeta o sistema imunológico – causado pelo vírus.
De imediato, Maya começou a fazer quimioterapia para tratar o câncer. A veterinária Maria explicou que ainda não há uma opção válida para o tratamento da Felv que seja comprovada cientificamente. “Os tratamentos] não costumam ser eficazes e causam efeitos colaterais que podem ser fatais”.
Portanto, a opção é tratar as doenças causadas pelo vírus para melhorar a qualidade de vida do gato. Mas, infelizmente, a Maya não resistiu ao tratamento e morreu quatro meses após o diagnóstico da Felv.
Campanha
Raphael viralizou nas redes sociais com vídeos mostrando os ‘perrengues’ da profissão e dicas dos cuidados que os tutores devem ter com os animais. Após o diagnóstico da Maya, ele aproveitou a influência para fazer conteúdos informativos sobre a Felv. (Veja abaixo).
“Eu queria que as pessoas que têm gatos não passassem pelo o que eu passei”, afirmou.
Influenciador usa as redes sociais para conscientizar tutores sobre leucemia felina
O vírus é facilmente transmissível e acontece pelo contato de um gato com Felv com qualquer outro felino, por meio de água, alimentos, saliva, transfusão sanguínea e até na placenta — da mãe para o filhote.
Pensando em formas de diminuir esses estragos, Raphael decidiu sair das redes sociais e fazer uma campanha de vacinação, testagem e conscientização gratuita.
“O objetivo é fazer com que diminuam o número de gatos infectados por esse vírus de três formas: testando, vacinando os negativos e conscientizando a população. Se os tutores sabem dos riscos, a importância de vacinar e testar, os casos de Felv tendem a diminuir”, afirmou o estudante.
O primeiro evento #TodosContraFelv acontecerá no Hospital da Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais (Anclivepa), em São Paulo, no dia 12 de novembro. A ideia é expandir para todas as cidades do Brasil, inclusive para a Baixada Santista, no litoral do Estado.
Gatos positivos
Maya faleceu quatro meses após testar positivo para Felv, vírus conhecido como leucemia felina
Arquivo Pessoal
O influenciador, que se formará neste ano em Veterinária, orienta os tutores que tiverem gatos positivos para Felv que busquem informações sobre o vírus e fiquem atento aos possíveis sintomas.
“O mais importante é que a imunidade do gato não caia porque é quando a doença aparece. A principal dica é evitar estresse para a imunidade do gato não cair. Mas, também existem vitaminas e suplementos”, finalizou.
VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »