Guarujá

Dono diz que ‘boneco’ confundido com corpo em decoração de Halloween era de recicláveis; polícia foi acionada


Morador da casa contou que objetivo da decoração era ‘criar clima de Halloween’ entre crianças. Caso aconteceu em Praia Grande (SP). Dimitrius contou que a decoração era lúdica e não parecia real
Arquivo Pessoal e Reprodução
A decoração de Halloween que foi confundida com um corpo e mobilizou autoridades em uma casa de Praia Grande, no litoral de São Paulo, foi feita com materiais recicláveis. A informação foi relatada ao g1, nesta quarta-feira (25), pelo proprietário da residência, Dimitrius Alexsandro Garcia Cunha.
✅ Clique aqui para seguir o novo canal do g1 Santos no WhatsApp.
O item usado para decorar a janela da casa na Rua Savério Fittipaldi, no bairro Quietude, assustou um casal que acionou autoridades depois de confundi-lo com um corpo. Imagens obtidas pelo g1 mostram a ocorrência atendida pela Guarda Civil Municipal (GCM) de Praia Grande (assista abaixo).
Decoração de Halloween assusta moradores e mobiliza autoridades
O funcionário público, de 46 anos, contou que ele próprio fez o boneco. “Usei uma garrafa de amaciante, uns papelões e saco de lixo para poder fazer o corpinho pendurado. As pernas eu fiz com caixa de leite”, explicou ao g1.
De acordo com Dimitrius, além do boneco, a fachada da casa foi decorada com caveiras e fantasmas, também feitos à mão. “As caveirinhas são de papel sulfite que eu fiz. Minha companheira usou umas bexiguinhas e fizemos fantasminhas”, afirmou o funcionário público.
O morador explicou que não teve a intenção de fazer parecer real, pelo contrário. “É um casalzinho de caveirinhas, tem uns fantasminhas e uma teia de aranha, bem lúdico mesmo, bem infantil”, enfatizou.
Ideia
Ao g1, Dimitrius contou que foi a primeira vez que ele decorou a casa para o Halloween, pois queria agradar os estudantes de uma escola em frente à residência. “Como eu moro em frente a uma escola, eu queria dar um clima para as crianças poderem ter uma distraçãozinha só para não passar em branco o Halloween”, explicou.
De acordo com ele, a repercussão foi boa entre a vizinhança antes do boneco ser confundido. “Muita gente passava lá na frente e alguns tiraram fotos e davam dicas de como montar. As crianças da escola estavam rindo, brincando”.
Dimitrius contou que um aluno, inclusive, chegou a dizer para ele diminuir o comprimento do boneco, pois estava muito grande. Por isso, o funcionário público foi surpreendido pela mobilização de autoridades.
Ele não estava em casa no momento em que agentes da GCM foram ao local. A corporação foi atendida pelo filho dele. “Como meu filho é muito bonzinho, ele por si só decidiu tirar o boneco pra não criar mais repercussão e não dar trabalho para a Guarda Municipal”, finalizou.
O funcionário público pretendia fazer uma festa de Halloween em comemoração ao aniversário da enteada, mas revelou ao g1 que está repensando na ideia depois da repercussão do caso.
Leia também
Decoração de Halloween assusta moradores e mobiliza autoridades no litoral de SP: ‘muito real’; VÍDEO
Dentista brasileira entra para o Guinness com a maior coleção de modelos dentais do mundo
Boneco foi confundido com um corpo em Praia Grande (SP)
Arquivo Pessoal/Bruna Kellen
Relembre o caso
A empresária Bruna Keren Pedroso Pereira, de 24 anos, estava passando pela rua de carro com o marido quando avistou a decoração. Ela disse que ficou assustada, pois parecia muito real.
Ela resolveu ligar para a Polícia Militar (PM), informando o endereço do caso. Em seguida, Bruna e o marido foram até a base da Guarda Civil Municipal (GCM) de Praia Grande e pediram para os agentes os acompanharem até o local.
Ela disse que não havia muita movimentação na rua, mas algumas pessoas pararam para ver o caso e também confundiram o boneco com um corpo. Em determinado momento, as equipes da Romu chamaram pelo morador, que mostrou se tratar de um boneco e alegou ser uma decoração para o Halloween.
VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »