Guarujá

Esposa conta à polícia que mandou matar empresário porque sofria violências física, psicológica e sexual


Marcos Nascimento da Rocha, de 48 anos, foi morto enquanto se preparava para dar uma carona a um casal, após ter fechado a adega administrada por ele em Praia Grande (SP). Vídeo mostra empresário sendo morto a tiros a mando da esposa em Praia Grande (SP)
A mulher, de 46 anos, que confessou ter mandado executar o marido e empresário Marcos Nascimento da Rocha, de 48, morto a tiros em Praia Grande, no litoral de São Paulo, contou à Polícia Civil que o objetivo era se livrar das agressões que, segundo ela, eram praticadas pelo homem. Ela e o atirador, de 24, foram presos. O motorista de fuga é procurado pela Justiça.
✅Clique aqui para seguir o canal do g1 Santos no WhatsApp.
O caso aconteceu no dia 16 de setembro. O empresário havia acabado de fechar a adega que administrava na Avenida Guilhermina e, enquanto se preparava para dar uma carona a um casal de amigos , foi baleado com três tiros no tórax. O Samu socorreu Rocha e o levou ao hospital, onde chegou a passar por cirurgia, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
Janaina e Rocha mantinham uma união estável há aproximadamente três anos. Na época do assassinato, o g1 teve acesso ao depoimento da mulher. Ela havia relatado à Polícia Civil que o empresário estaria envolvido com agiotas e tinha históricos de dívidas.
Pouco mais de um mês depois, o motorista de fuga foi identificado e contou que a esposa de Rocha teria pago para ele e Renan Dos Santos Silva, responsável pelos disparos, matarem o empresário. A polícia pediu a prisão temporária da mulher, que foi interrogada e confessou ter sido a mandante.
No segundo depoimento à polícia, conforme o delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Praia Grande (SP) informou à reportagem, a mulher disse que era vítima de violência física, psicológica e sexual. Ela acrescentou que o empresário era usuário de drogas e as agressões eram intensificadas quando o homem estava no efeito dos entorpecentes.
“Ela confirmou que é a mandante do crime e fez isso para se livrar das agressões dele, descartando a intenção de ficar com o dinheiro do seguro. Tanto é que ela não tinha nem dado entrada no seguro ainda”, explicou o delegado.
Leia também
Empresário morto a tiros tinha histórico de dívidas e envolvimento com agiotas, diz esposa
Esposa de empresário assassinado confessa ter sido a mandante do crime e é presa no litoral de SP
Vídeo mostra empresário sendo executado a mando da própria esposa no litoral de SP
Contratados para o crime
Empresário conseguiu sair do carro, foi levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos
Reprodução
De acordo com a Polícia Civil os agentes da DIG de Praia Grande (SP) identificaram o motorista da fuga. No dia 26 de outubro, eles foram até a casa do homem em Jundiaí (SP) e o encontraram com uma pistola calibre 9mm carregada com 15 cartuchos.
O motorista disse aos policiais que foi a Praia Grande (SP) junto com Renan, responsável pelos disparos, mediante pagamento da esposa do empresário. Na ocasião, ele foi preso em flagrante por porte de arma, já que ainda não havia sido decretada a prisão temporária pelo assassinato.
O homem foi solto após a audiência de custódia. Com a prisão temporária decretada, ele é considerado procurado pela Justiça. O delegado afirmou ao g1 que espera que o motorista se entregue ou seja preso.
Testemunhas disseram que atirador falou ‘toma’ ao disparar e depois correu para entrar no veículo de fuga
Reprodução
O atirador foi preso e levado ao Centro de Triagem de Campo Limpo Paulista (SP) nesta segunda-feira (13). Os policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jundiaí (SP) receberam informações de que Renan estaria em uma casa e iria se entregar.
Além do pedido da prisão temporária por participar do assassinato do empresário, conforme apurado pela reportagem, havia outro mandado contra Renan por porte ilegal de arma e adulteração da placa de um veículo.
“O investimento em mecanismos de segurança por parte do município com a colocação das câmeras e os cidadãos que se dispuseram a entregar as imagens de seus imóveis nos auxiliaram bastante na identificação [dos envolvidos]”, explicou o delegado.
VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »