Turismo

Fim da linha para trem do Harry Potter? As preocupações com segurança que ameaçam ‘rota de Hogwarts’


Empresa que administra a linha quer ser liberada da exigência de instalar sistemas de travamento central nos vagões, alegando custos altos. O Expresso de Hogwarts aparece no filme Harry Potter e a Câmara Secreta
EVERETT COLLECTION/ ALAMY
As viagens no trem a vapor do Harry Potter podem ser interrompidas se a Justiça rejeitar um pedido da empresa que administra a linha.
A West Coast Railways (WCR), que opera a rota, quer ser liberada da exigência de instalar sistemas de travamento central nos vagões.
Os proprietários do Jacobite – que se chamava Expresso de Hogwarts nos filmes do bruxo – disseram que a implementação das novas medidas poderia custar 7 milhões de libras, o equivalente a R$ 43,2 milhões.
Um julgamento sobre o caso deve ocorrer em janeiro.
Quais são as grandes guerras em curso no mundo — e por que algumas chamam menos atenção?
Como Mickey Mouse salvou Walt Disney da ruína e mudou o cinema para sempre
Por que América Latina não tem rede de trens como a da Europa
O trem opera em uma das rotas ferroviárias mais emblemáticas da Escócia – de Fort William a Mallaig – de março a outubro.
Ele atravessa o viaduto Glenfinnan, que se tornou atração para uma nova geração de turistas após ser apresentado no filme Harry Potter e a Câmara Secreta.
Cerca de 750 pessoas por dia viajam até o fim da linha em Mallaig todos os dias na alta temporada. E muitos outros visitantes vão assistir o trem passar.
O serviço teve uma isenção concedida pelo escritório governamental responsável por ferrovias e rodovias, o que permitiu a continuidade da linha.
O órgão previa duas isenções de dez anos às regras sobre como as portas dos vagões devem ser trancadas enquanto o trem estava em movimento. A última isenção expirou em 31 de março de 2023.
Após uma inspeção em julho, o órgão citou problemas com procedimentos nas fechaduras das portas e afirmou que a West Coast Railways estava colocando os passageiros “em risco de ferimentos pessoais graves”.
Em agosto, a linha obteve uma isenção temporária.
Após uma audiência de dois dias no Tribunal Superior na semana passada, a empresa aguarda agora uma decisão que poderá determinar se o trem a vapor voltará a operar.
Viaduto percorrido pelo trem fica entre Fort William e Mallaig
GETTY
‘Negócio caro’
A empresa disse que adicionar sistemas de trava aos tradicionais vagões com portas da década de 1950 custaria cerca de 7 milhões de libras, o que corresponderia a cerca de dez anos de lucro.
Em declarações ao jornal The Herald, o gerente comercial James Shuttleworth disse: “Nossa intenção é continuar a administrar o trem, mas se tivermos que instalar fechaduras nas portas, será um negócio caro”.
A empresa forneceu à Warner Bros a locomotiva e os vagões usados na série de filmes Harry Potter.
O trem faz duas viagens por dia utilizando algumas das mesmas carruagens mostradas nas filmagens.
Veja também
Conheça resort de luxo em Las Vegas que levou 23 anos para ficar pronto
Conheça o maior navio de cruzeiro do mundo, que pesa 5 vezes mais que o Titanic
Saiba quais são os hotéis em que milionários se hospedam

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »