Geral

Comerciante diz ter sofrido um sofre golpe ao pagar conta de energia elétrica falsa no litoral de SP


Morador de Santos (SP), Geonísio Pereira de Aguiar disse que recebeu a fatura semelhante à original e com o mesmo valor por e-mail. CPFL dá dicas para clientes evitarem fraudes envolvendo as contas. Comerciante alegou ter sido vítima de golpe da falsa conta de energia elétrica, que recebeu via e-mail, em Santos (SP)
Arquivo Pessoal
Um comerciante de 61 anos alega ter sido vítima de um golpe ao pagar uma conta de energia elétrica falsa que recebeu por e-mail, com o mesmo valor da original, em Santos, no litoral de São Paulo. O caso foi registrado como estelionato no 7° Distrito Policial (DP), onde é investigado.
✅ Clique aqui para seguir o novo canal do g1 Santos no WhatsApp.
Geonísio Pereira de Aguiar contou ao g1 que a empresa deixou de enviar as contas de forma física e, por isso, as recebe mensalmente via e-mail. Como de costume, ele efetuou o pagamento via PIX no valor de R$ 516,52. A fatura anterior de R$ 493,64 também constava em aberto.
“Tenho 61 anos, mas não sou tão [perdido] para não compreender um pagamento digital. Veio como vem todo mês. (…) Não acessei página errada, veio no meu e-mail e os valores eram o que a CPFL estava cobrando”, disse ele.
A vítima acredita que os dados da CPFL tenham vazado de alguma forma, ou que os criminosos tiveram acesso facilitado aos dados pessoais dele e do consumo elétrico, que apenas a companhia deveria ter. “Para a pessoa dar golpe até nos centavos é porque ela recebeu da CPFL esse tipo de informação. O valor era exato até nos centavos”.
Ele só identificou o problema cinco dias antes de ter o fornecimento elétrico suspenso pela falta de pagamento. Agora, o comerciante afirmou que conseguiu um prazo maior com a empresa até tentar solucionar o problema.
“Daqui 30 dias voltam a me cobrar essas duas faturas. Eles não tiveram responsabilidade nenhuma. O que mais me chama atenção é que eles têm informações que só a CPFL poderia fornecer”, disse.
Geonísio afirmou que, caso não consiga o estorno do valor pago com os bancos envolvidos na transação, irá procurar a Justiça. “Se o banco não devolver o dinheiro, eles vão querer me cobrar essas contas de novo, não vou querer pagar e vou apelar à Justiça”.
O Bradesco informou que trata-se de um golpe relacionado a ações externas, e ressaltou que o fato não ocorre no ambiente do banco. O g1 procurou o Inter, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.
O que diz a empresa?
Em nota, a CPFL Piratininga informou que a via de acesso à conta digital, para clientes que recebem a fatura mensal por e-mail, é exclusivamente o link encaminhado pelo endereço contadigital@cpfl.com.br.
A companhia afirmou que investe em tecnologia e possui políticas de proteção dos acessos, garantindo assim a proteção do site oficial e a segurança máxima dos dados de seus clientes.
Empresa dá dicas para clientes não caírem em golpes:
Acessar o serviço de ‘Débitos e 2ª via de conta’ no site oficial ou pelo app Cpfl Energia, e comparar a conta recebida com a do sistema;
A conta de energia nunca é aberta diretamente, enviada em anexo ou direcionada para qualquer outro endereço que não seja contadigital@cpfl.com.br;
Antes de confirmar qualquer pagamento, conferir se os dados que aparecem na tela são dos da Cpfl Piratininga, o CNPJ é: 04.172.213/0001-51;
Em caso de dúvidas, os clientes podem acessar os canais de atendimento; na Cpfl Piratininga são: WhatsApp (19) 99908-8888, SMS 27304 e call center 0800 010 2570.
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »