Geral

Dá para sonhar? Fluminense encara freguês de brasileiros e vê City oscilar às vésperas de estreia no Mundial

O Fluminense começa a busca pelo título inédito do Mundial de Clubes a partir das 15h (de Brasília) desta segunda-feira, 18, diante do Al Ahly (Egito), no Estádio Rei Abddulah, em Jeddah, na Arábia Saudita. No Oriente Médio, o Tricolor tentará quebrar um tabu que perdura há 11 anos. A última vez que uma equipe sul-americana ganhou o torneio da Fifa aconteceu em 2012, quando o Corinthians bateu o Chelsea na grande decisão. Desde então, os representantes da América do Sul decepcionaram, sendo derrotados por europeus nas decisões ou fracassando nas semifinais. A boa notícia para os comandados de Fernando Diniz é que seus adversários não atravessam a melhor fase. Antes de desbancar o bilionário Al-Ittihad e avançar na competição, o atual campeão africano colecionava quatro tropeços contra clubes modestos no último mês — os egípcios empataram com El Gouna, Smouha, Young Africans e Belouizdad.

O primeiro rival do Fluminense é apenas o quarto colocado do Campeonato Egípcio. Mais do que isso, o Al Ahly também possui um retrospecto negativo diante de times do Brasil. Em oito participações no Mundial, a equipe africana encarou brasileiros quatro vezes, sendo derrotada em três delas. O primeiro embate aconteceu em 2006, com vitória do Internacional por 2 a 1, na semifinal. Seis anos mais tarde, o Corinthians eliminou o Al Ahly com um triunfo por 1 a 0, na mesma fase. O único resultado positivo do gigante egípcio contra representantes da América do Sul ocorreu em 2020, quando ganhou do Palmeiras nas penalidades, na disputa pelo terceiro lugar. No ano seguinte, porém, os palmeirenses não encontraram dificuldades para vencer a mesma equipe por 2 a 0. Assim, não é exagero afirmar que o próximo adversário do Tricolor das Laranjeiras é freguês de brasileiros. Além disso, o clube nunca conseguiu chegar em uma final de Mundial.

Caso avance de fase, o Fluminense provavelmente terá pela frente o todo-poderoso Manchester City — os ingleses, claro, precisam desbancar o Urawa Reds Diamonds (Japão) na outra semifinal. Atual campeã europeia, a equipe comandada pelo badalado treinador Pep Guardiola conta com grandes estrelas mundiais e é considerada a favorita a ganhar o Mundial. Apesar disso, os britânicos chegam na Arábia Saudita com diversos desfalques e estão longe do auge. Em recuperação de uma grave lesão, o meia Kevin De Bruyne não deve retornar a tempo da de uma eventual final. Além disso, os atacantes Erling Haaland e Doku se tornaram dúvidas de última hora por problemas físicos. Em campo, as contusões estão afetando o desempenho do conjunto azul-claro. Na Premier League, os Citizens ocupam apenas o quarto lugar e estão atrás de Liverpool, Arsenal e Aston Villa.

Com este cenário, o Tricolor das Laranjeiras tenta aproveitar seu bom momento para surpreender os rivais e ganhar seu primeiro Mundial de Clubes. A expectativa é que o treinador Fernando Diniz coloque em campo um time semelhante ao que disputou a final da Copa Libertadores da América, diante do Boca Juniors, em 4 de novembro. A provável escalação tem: Fábio; Samuel Xavier, Nino, Felipe Melo e Marcelo; Martinelli (Aleksandr), André e Paulo Henrique Ganso; John Arias, Keno e Germán Cano.

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »