Jogos

“Os pais não sabem que você pode denunciar assédio dentro dos videogames”

No Arucas Gaming Fest do mês passado, aprendemos mais sobre videogames e melhores práticas com diferentes especialistas e seus painéis. Por um lado, havia senso de comunidade e tolerância à frustração como benefícios dos jogos. Do outro, o professor e psicopedagogo Iker Martínez, da organização PantallasAmigas, falou sobre como lidar com as relações sociais dentro das plataformas de videogames online.

Martínez sublinhou que, por muito familiarizados que pais e professores possam estar com o jogo nas novas gerações, “não percebemos a componente social dos videojogos no bullying”, sublinhando a chamada “infeção social do insulto” como fator endémico. E como um exemplo claro, ele apontou como “os pais não sabem que você pode denunciar assédio e mau comportamento dentro dos próprios jogos”.

Além de denunciar abusos, durante a sessão a pedagoga compartilhou alguns conselhos e respondeu perguntas de alunos presentes na sala que realmente não sabiam o que fazer quando atuam como testemunhas, principalmente com o caso mais comum de mulheres sendo assediadas ou menosprezadas (e com uma grande porcentagem tendo que adotar uma persona masculina para ser respeitada e incluída no jogo). E quais são essas dicas e truques para estar mais pronto ou mais protegido em um ambiente potencialmente tóxico? “Você tem que se cercar de pessoas boas e honestas, mas também todos nós temos que melhorar a educação nesse sentido e todos têm que ser ensinados que videogames não são só para meninos. E tem que haver muita prevenção”.

Como você se sente em relação ao bullying nas plataformas de videogames hoje em dia? Deixe um comentário ou uma dica abaixo.

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »