Guarujá

Guarda-vidas salvam cerca de 42 pessoas por dia nas praias do litoral de SP


Grupamento de Bombeiros Marítimos (GBMar) contabilizou 639 salvamentos nos primeiros 15 dias de 2024. No mesmo período, 16 mortes foram registradas. Bombeiros do GBMar em atuação no litoral de SP
Divulgação/GBMar
Neste verão, cerca de 42 pessoas são salvas todos os dias nas praias do litoral de São Paulo. O Grupamento de Bombeiros Marítimos (GBMar) contabilizou 639 salvamentos na primeira quinzena de 2024. No mesmo período, 16 mortes foram registradas.
✅Clique aqui para seguir o canal do g1 Santos no WhatsApp.
Em janeiro de 2023, 932 salvamentos foram realizados nas praias da região. Em 2024, em apenas 15 dias, os guarda-vidas já resgataram 639 pessoas. O balanço abrange as 12 cidades do litoral paulista, de Ilha Comprida a Ubatuba (veja os dados por cidade abaixo).
Guarujá é a cidade com a maior quantidade salvamentos, somando 159 pessoas salvas e um óbito. Em seguida, aparecem São Sebastião (147) e Ubatuba (84). Itanhaém registrou 5 óbitos, se destacando como o município com o maior número de mortos por afogamento.
Segundo a capitão Karoline Burunsizian Magalhães, do Grupamento de Bombeiros Marítimos (GBMar), apesar da média expressiva de 42,6 pessoas salvas por dia, os números são esperados para a alta temporada, quando as cidades recebem uma grande quantidade de turistas.
A grande quantidade de salvamentos só é possível, de acordo com ela, por conta da contratação de mais profissionais para atuar nas praias neste período do ano. “Desde essa implementação, em 2011, a média anual de vítimas baixou de 300 para 100 pessoas”, ressaltou.
Veja os dados por cidade:
Afogamentos na primeira quinzena de 2024 no litoral paulista
Perfil
Segundo a capitão, cerca de 95% das vítimas fatais de afogamento, em 2023, foram homens. Mais da metade, segundo ela, tinha entre 19 e 42 anos.
“Esse grupo de pessoas tende a ignorar a prevenção, ser mais negligente e, por isso, representam a maioria das vítimas”, disse ela.
Já mulheres, crianças e idosos, em geral, se afogam menos, segundo Karoline. “Respeitam mais as condições e não se colocam tanto em risco como o grupo de homens dessa faixa etária”, explicou.
Vídeo mostra casal sendo arrastado por corrente de retorno no mar de Praia Grande (SP)
Corrente de retorno
Quase 100% dos afogamentos ocorrem em áreas da praia que são corrente de retorno, segundo a capitão. Neste locais, os guarda-vidas instalam placas de ‘perigo’.
“É muito importante que os banhistas respeitem essa sinalização e, em caso de dúvidas, procurem o guarda-vidas responsável, que indicará o local mais adequado para se banhar”, diz Karoline.
Ainda segundo ela, os casos de acidentes no mar são sempre maiores em dias de praia cheia, como na temporada de verão, aos finais de semana, dias de sol e dias de pagamento.
Praia da Enseada, em Guarujá
Arquivo AT
Cuidados
O Grupamento de Bombeiros Marítimos (GBMar) reuniu uma série de orientações aos banhistas para evitar acidentes nas praias. Confira abaixo:
prefira praias protegidas por guarda-vidas;
não mergulhe em áreas que tenham a placa de perigo;
evite o comportamento inadequado, respeite o mar;
em caso de ingestão de bebidas alcoólicas, não entre no mar;
em caso de dúvidas, fale com o guarda-vidas responsável pelo local;
curta a praia com cuidado, respeite as orientações do GBMar.
VÍDEOS: g1 em 1 minuto
G1 em 1 minuto – Santos: Prefeitura de Santos prorroga vencimento do IPTU 2024

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »