Brasil

Condenado à morte nos EUA será executado com nitrogênio após sobreviver a injeção letal

Kenneth Smith, condenado à morte por assassinar uma mulher nos Estados Unidos em 1988, está prestes a ser executado. Após sobreviver a uma tentativa de execução por injeção letal em 2022, ele agora será asfixiado com nitrogênio. Caso tudo ocorra conforme o planejado, Smith será a primeira pessoa a ser morta dessa maneira no país em 25 anos. Desde 1976, apenas 11 casos de execução por nitrogênio foram registrados. Nos EUA, a injeção letal segue o método de mais utilizado, embora tenha se tornado mais difícil obter as drogas necessárias para esse procedimento nos últimos anos. Por esse motivo, outras formas também são utilizadas no país, como a cadeira elétrica, o enforcamento, o pelotão de fuzilamento e o gás letal. Embora a Suprema Corte nunca tenha considerado esses métodos inconstitucionais, alguns tribunais estaduais já se manifestaram contra.

cta_logo_jp
Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

A injeção letal foi adotada como meio de execução em Oklahoma em 1977, tornando-se o primeiro estado a utilizá-la. No entanto, foi somente em 1982 que Charles Brooks se tornou a primeira pessoa a ser executada por esse método. Atualmente, todos os estados que possuem pena de morte autorizam a prática feita desta forma. O processo varia em cada estado, mas geralmente o condenado é amarrado a uma maca. A cadeira elétrica foi criada em Nova York em 1888 como uma alternativa mais “humana” ao enforcamento. William Kemmler foi o primeiro a ser executado dessa maneira, em 1890. Atualmente, nenhum estado americano utiliza exclusivamente a eletrocussão como método de execução. Quando é adotada, a pessoa é raspada e amarrada a uma cadeira com cintos que atravessam seu peito, virilha, pernas e braços.

A câmara de gás foi introduzida em Nevada em 1924 como uma forma mais “humanitária” de executar prisioneiros condenados. Gee Jon, um jovem imigrante chinês acusado de assassinato, foi a primeira pessoa a ser executada por gás letal. Ele foi amarrado a uma cadeira e agonizou por cerca de seis minutos antes de morrer. Espectadores deixaram o local com medo de envenenamento.
O pelotão de fuzilamento foi autorizado novamente em Utah em março de 2015 como um método alternativo de execução, caso o estado não conseguisse obter os medicamentos necessários para a injeção letal. Anteriormente, o fuzilamento só era realizado em Utah se o prisioneiro escolhesse. Mississippi, Oklahoma e Carolina do Sul posteriormente autorizaram o pelotão de fuzilamento como método alternativo. Atualmente, apenas um estado americano, New Hampshire, autoriza o enforcamento como método de execução. No entanto, a pena de morte foi abolida no estado, mas a revogação pode não ser aplicada retroativamente, o que significa que um prisioneiro condenado ainda pode ser executado.

*Reportagem produzida com auxílio de IA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »