Economia

Garçonete larga emprego no shopping para apostar na agricultura sem veneno


Dorcelita Estevão de Barros vive na zona rural de Uberlândia, no Triângulo Mineiro (MG). Ela trabalha com o sistema de agrofloresta, em que a plantação divide espaço com floresta, dispensando o uso de defensivos químicos. Garçonete larga a vida na cidade para apostar na agricultura sem agrotóxicos
“Aqui, eu me sinto realizada. Eu não troco isso por nada”, diz a agricultora Dorcelita Estevão de Barros, mais conhecida como Duda. Ela resolveu pedir demissão de um emprego como garçonete para se dedicar ao campo (saiba mais no vídeo acima).
Mais especificamente, ela aposta na agrofloresta, que, como o próprio nome indica, combina plantação agrícola com floresta sem uso de agrotóxicos.
Duda diz dar continuidade ao legado de seu pai: cuidar da roça e produzir alimentos sem defensivos químicos. O marido, José Rubens Laureano, o Zé, também tem ajudado nessa missão.
O g1 foi até a zona rural de Uberlândia, no Triângulo Mineiro (MG), para conhecer a agrofloresta do casal. No local, eles plantam um pouco de tudo: alface, tomate, rúcula, repolho, brócolos e chuchu, entre outros (Veja no vídeo acima).
E boa parte do que é colhido vai para escolas públicas da região de Uberlândia. Duda também comercializa frutas e verduras em feirinhas montadas em universidades federais.
“A gente já consegue entregar alface, repolho e couve orgânicos nas escolas da região. E o melhor de tudo é ter a consciência de que você está alimentando com uma comida saudável, sem veneno. O que eu forneço também está na minha mesa”, diz Duda.
Duda em sua plantação em Uberlândia, Minas Gerais
Rafael Leal/g1
Duda tinha um sonho em dirigir e conseguiu tirar a CNH
Rafael Leal/g1
Retrato de Duda e o marido Zé
Rafael Leal/g1
Zé, caso com Duda, é produtor rural em Uberlândia, Minas Gerais
Rafael Leal/g1
Duda aposta no sistema de agrofloresta
Rafael Leal
GENTE DO CAMPO: série do g1 apresenta pessoas inspiradoras do agro
DE ONDE VEM: por que é tradição enfeitar árvores para o Natal?
ASSIM A MAIS VÍDEOS DA SÉRIE:
Chocolatier ajuda comunidades da Amazônia a obterem renda com o cacau
Gente do campo: Chocolatier ajuda comunidades da Amazônia a obterem renda com o cacau
Vilso cultiva videiras centenárias
Gente do campo: Vilso cultiva videiras centenárias
Bonsai também é coisa de mulher
Gente do Campo: Bonsai também é coisa de mulher
Agricultores quilombolas do Vale do Ribeira
Gente do Campo: agricultores quilombolas do Vale do Ribeira

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »