Guarujá

Os desafios enfrentados nos passeios ecológicos e culturais na Baixada Santista


Integração dos recursos naturais e culturais é uma estratégia para fortalecer o turismo na cidade Conscientização ambiental pode impulsionar o turismo cultural
Reprodução
A cidade de Santos, com sua beleza natural e patrimônios culturais, está se tornando um destino líder para passeios ecológicos e culturais. Apesar do potencial, essas atividades enfrentam desafios significativos que demandam soluções inovadoras e colaboração entre diversos setores.
A integração dos recursos naturais e culturais de Santos, através da criação de novos roteiros turísticos, é uma estratégia chave para fortalecer e diversificar o turismo na cidade.
A união dos principais pontos turísticos e a constante inovação em termos de oferta turística são fundamentais para um mercado mais robusto.
Investir em infraestrutura que suporte o turismo sustentável, como melhorias no transporte público e desenvolvimento de instalações que minimizem o impacto ambiental, são passos essenciais para assegurar um futuro sustentável e próspero para o turismo em Santos.
Desafios ambientais e urbanos
Cássia Dantas, gerente comercial da Parquetur Caminhos do Mar S.A aborda os desafios de maneira ampla.
“Nossos desafios vão além da conscientização ambiental. Incluem também a implementação de um turismo sustentável e a eficácia na promoção desses passeios. Além disso, enfrentamos o congestionamento urbano, que pode desencorajar turistas de visitar áreas mais remotas.”
Ela vê um futuro promissor, onde a crescente conscientização ambiental, combinada com investimentos em infraestrutura turística e parcerias entre o setor público e privado, podem impulsionar significativamente o turismo cultural e ecológico na Baixada Santista.
A Parquetur Caminhos do mar é localizada em Cubatão, que possui diversos elementos históricos e culturais, como a Calçada do Lorena, caminho usado por Dom Pedro I antes de proclamar a Independência, em 1822.
Região tem crescente no setor de turismo ecológico
Reprodução
Cultura local e qualificação profissional
Nicole Tinelli Vallejo, diretora de eventos do Casino Monte Serrat Santos, destaca outros aspectos: “Os maiores desafios são o reconhecimento e a valorização dos patrimônios culturais por parte dos moradores locais, especialmente no Centro Histórico, e a necessidade de investimento em treinamento para os profissionais do turismo.”
Ela acredita que programas culturais, locais históricos e ecológicos podem se tornar extremamente atraentes para o público local e visitantes, promovendo um turismo mais familiar e inclusivo.
A importância da integração e desenvolvimento contínuo
Ambas as fontes concordam que a integração dos principais pontos turísticos e o desenvolvimento de novos roteiros são essenciais. Cássia ressalta: “A união dos nossos recursos naturais e históricos, juntamente com a criação de novos roteiros turísticos, pode abrir caminho para um mercado turístico mais robusto e diversificado em Santos.”
Nicole acrescenta: “A valorização cultural e histórica precisa ser acompanhada de uma oferta turística que atenda às expectativas dos visitantes, desde a qualidade dos serviços até a diversidade das experiências oferecidas.”
Santos tem o potencial de se tornar um modelo para o turismo sustentável
Reprodução
O papel da infraestrutura e parcerias
Para superar esses desafios, a infraestrutura desempenha um papel crucial. “Investir em infraestrutura que suporte o turismo sustentável é vital,” afirma Cássia.
“Isso inclui melhorias no transporte público para áreas turísticas e desenvolvimento de instalações que minimizem o impacto ambiental.”
Nicole complementa: “As parcerias público-privadas podem ser um meio eficaz de alcançar esses objetivos, unindo recursos e expertise para um desenvolvimento turístico mais sustentável e inclusivo.”
Potencial regional
A diretora social da Fundação Pinacoteca Benedicto Calixto, Vanessa Rajomes, compartilhou sua visão sobre os desafios enfrentados na gestão e promoção dos passeios ecológicos e culturais em Santos, além de destacar as oportunidades para o futuro dessas atividades.
“Acreditamos que nossa região tem um grande potencial, junto às nossas reservas de Mata Atlântica e cachoeiras que, por vezes, poucos sabem que existem. Mas acreditamos que se for melhor fomentado este atrativo na cidade e região, teremos benefícios para todos os setores que fazem parte da cadeia turística”, ressalta Vanessa Rajomes.
A Fundação Pinacoteca Benedicto Calixto não se limita apenas a ser um espaço cultural. Além do casarão branco que abriga obras do artista, o local destaca-se pela gastronomia de excelência com a Forneia e Bistrô Calixto, aberto a todos os públicos.
Casarão Branco, Pinacoteca Benedicto Calixto
Reprodução
O ambiente, situado em um jardim com diversas espécies e árvores, também contribui para a preservação do Pau-Brasil com um projeto anual.
Vanessa Rajomes destaca ainda a implementação de serviços de acessibilidade em andamento, visando atender a todos de maneira efetiva. Além disso, a Fundação lançou recentemente a tecnologia de visitação em realidade virtual e aumentada, proporcionando aos visitantes uma experiência única e inovadora.
O turismo ecológico e cultural está em um ponto de virada. Enfrentando desafios como a necessidade de maior conscientização ambiental, melhoria da infraestrutura e qualificação profissional, há um caminho claro para o crescimento.
Com o envolvimento da comunidade, investimentos estratégicos e a promoção eficaz, a Baixada Santista tem o potencial de se tornar um modelo para o turismo sustentável e cultural, beneficiando tanto a economia local quanto o meio ambiente.

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »