Geral

Em julgamento por acusação de estupro, esposa de Daniel Alves confirma que ele estava embriagado

Joana Sanz, esposa de Daniel Alves, confirmou em depoimento à Justiça espanhola que o ex-jogador estava embrigado na noite do suposto estupro de uma mulher em uma boate em Barcelona. Hoje é o segundo dia do julgamento que já ouviu mais de 20 testemunhas, incluindo a jovem que teria sido violentada por Daniel, funcionários da boate e um amigo dele.  O ex-jogador está detido há mais de um ano em um prisão em Barcelona e escutou a todos os depoimentos, com exceção da jovem, que foi ouvida sob uma série de medidas para proteger seu anonimato e evitar um “confronto visual” com o acusado. Ele afirma que a relação que teve com a denunciante foi consentida.

cta_logo_jp
Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

A esposa explicou que na madrugada de 31 de dezembro de 2022, data na qual teria supostamente ocorrido o crime, o ex-jogador voltou para casa “cheirando a álcool” depois de ter passado o dia com os amigos. “Quando ele entrou no quarto, esbarrou em vários móveis e caiu na cama”, disse a modelo. Ela ressaltou que, naquele momento, não quis conversar com ele por causa do “estado em que chegou”. Bruno, amigo de Daniel Alves, afirmou que ele havia bebido muito no dia do ocorrido. A Justiça da Espanha pede nove anos de prisão para o ex-jogador pelo crime de “agressão sexual com penetração”, além do pagamento de uma indenização de R$ 800 mil a mulher e mais dez anos de liberdade condicional após cumprir a condenação em regime fechado.

A vítima alega que na noite em que conheceu Daniel Alves, eles estavam na área VIP da boate Sutton. O jogador a convidou para ir a um pequeno lavabo, que ela não conhecia e, de acordo com ela, ele a agrediu e a forçou a ter relações sexuais. Segundo ela, o momento foi “uma situação de angústia e terror”. Uma amiga e uma prima que estavam acompanhando a jovem naquela noite confirmaram diante do tribunal que a jovem saiu do lavabo em estado de choque e com outras sequelas, que ela ainda carrega após os acontecimentos. A vítima chorava “desconsolada” e pediu para que elas fossem embora, pois o jogador “havia feito muito mal” a ela.

Várias testemunhas afirmaram que viram a jovem em “choque”. “A menina estava muito mal, chorava muito”, descreveu um dos gerentes da boate. Na primeira versão de seu depoimento, Daniel Alves negou que conhecia a moça. Posteriormente, ele mudou de versão mais de três vezes e alegou que os dois tiveram relações sexuais consentidas, mas que havia mentido para tentar salvar seu casamento com Joana Sanz. Desde sua prisão em janeiro de 2023, o tribunal espanhol não acatou os recursos apresentados pela defesa.

*Com informações da Agence France-Presse

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »