Economia

Cacau Show compra Grupo Playcenter e tem planos de abrir novo parque temático em SP


Valor da transação não foi revelado. No no ano passado, o Grupo Playcenter faturou cerca de R$ 100 milhões com seu parque de diversão Playcenter Family e a rede Playland. Negócio está em análise pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE). Espaço do antigo Playcenter, na Zona Oeste de São Paulo, que fechou as portas em 2012.
Divulgação/Grupo Playcenter
A marca de chocolates Cacau Show anunciou nesta terça-feira (20) a compra de todas as marcas e ativos do Grupo Playcenter, pioneiro no setor de parques de diversão no Brasil.
O valor da transação não foi revelado. No ano passado, o Playcenter faturou cerca de R$ 100 milhões com seu parque de diversão Playcenter Family e a rede Playland.
Clique aqui para se inscrever no canal do g1 SP no WhatsApp
Segundo a Cacau Show, a operação de compra e venda dos ativos do Playcenter está em análise pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) e até a aprovação formal do órgão regulador, as estruturas continuam independentes.
Alexandre Costa, fundador da Cacau Show, e Marcelo Gutglas, fundador do GRupo Playcenter, em coletiva de imprensa nesta terça-feira (20).
PEGN
Apesar do compasso de espera que pode durar mais de 30 dias, Alexandre Costa, fundador e CEO da Cacau Show, disse que há planos da nova dona da marca em abrir um novo parque temático outdoor do Playcenter que marcou gerações de crianças e adolescentes de São Paulo, nos anos 90 e 2000.
“É natural que o negócio cresça e evolua”, disse Costa. “Vivemos para, juntos, tocar a vida das pessoas, compartilhando momentos especiais. Estamos ansiosos para integrar o Grupo Playcenter a família Cacau Show, oferecendo ainda mais valor aos nossos clientes. Durante os nossos primeiros 35 anos de história, o Cacau e o chocolate sempre estiveram presentes em nossa marca e, agora [e nos próximos anos], chegou o momento de enfatizarmos ainda mais o nosso Show, que agora vai além do nosso produto”, completou.
Reportagens mostram fatos que marcaram a história do Playcenter
O fundador da Cacau Show também afirmou que a negociação das empresas aconteceu pela “compra da experiência” e que a conclusão do negócio vai ajudá-lo a realizar “o sonho grande da empresa”.
Os profissionais das duas companhias afirmaram que a possível construção desse novo parque temático deve ter inspiração em grandes empresas internacionais do ramo do entretenimento. Porém, não há confirmação sobre a possível localização do novo empreendimento.
Em 2017, o fundador do Playcenter, Marcelo Gutglas, revelou ao g1 que tinha planos que o novo parque fosse aberto na cidade de Olímpia, no interior do estado. Mas nenhuma pista foi dada pelos novos donos sobre a cidade que abrigará a nova atração.
Leia também:
Playcenter marcou gerações por 39 anos, deu lugar a conjunto de prédios
Veja fotos do último dia do Playcenter em SP, em 2012
História de sucesso
Turbo Drop, uma espécie de elevador que despenca repentinamente, permaneceu fechado neste domingo por questão de segurança
Caio Kenji/G1
O complexo PlayCenter, que ficava na Zona Oeste de SP, fez história ao longo de décadas, com brinquedos como Splash, Boomerang, Barco Viking, Cataclisma, Turbo Drop, La Bamba, além de eventos como as “Noites do Terror”, durante o período de Halloween.
O parque fechou as portas em 2012, por problemas financeiros. Atualmente, a experiência que o Grupo Playcenter tem mais próxima do antigo parque é, justamente, o Playcenter Family, dentro do shopping Aricanduva, na Zona Leste.
Segundo Marcelo Gutglas, fundador do Playcenter, uma nova unidade desse parque será aberta em São Bernardo do Campo em 2024, além de sete novas unidades do Playland.
Durante a coletiva de imprensa desta terça (20), na unidade da Playland do Shopping Eldorado, Alexandre Costa não descartou a ideia de abrir um novo parque temático, semelhante ao que funcionou por décadas na capital paulista.
Xtreme, novo brinquedo que ficará no lugar do Boomerang
Divulgação/Playcenter
Outras tentativas
Na entrevista coletiva, Gutglas disse que a Cacau Show já tentou adquirir no passado recente dois dos maiores parques temáticos do Brasil: o Beto Carrero World e o Hopi Hari, que também foi cofundado por ele.
Inclusive, a Cacau Show inaugurou no fim de 2023 uma montanha-russa de R$ 3 milhões na fábrica da empresa em Itapevi (SP), que recebe cerca de 7 mil pessoas por dia, durante os finais de semana, segundo o executivo.
Montanha-russa na loja da Cacau Show da fábrica de Itapevi, na Grande SP, instalada em outubro de 2023.
Divulgação
Por ora, as lojas atuais do Grupo Playcenter passam a oferecer no seu cardápio os produtos da Cacau Show. Os parques também devem ganhar elementos que remetam à marca de chocolates, além de personagens que remetem aos produtos dos novos donos.
Tobogã aquático, uma das atrações mais disputadas pelos visitantes do Playcenter
Caio Kenji/G1

Chocolates Pan
Em outubro de 2023, a Cacau Show também arrematou a antiga fábrica da Chocolates Pan, localizada no bairro de Santa Paula, área nobre de São Caetano do Sul, na Grande São Paulo, pelo valor de R$ 71 milhões.
A Chocolates Pan era conhecida por fabricar os “cigarrinhos de chocolate” famosos nos anos 60,70 e 80, além dos lápis de chocolate, que fizeram igual sucesso no período.
Antiga Fábrica da Chocolates Pan no bairro de Santa Paula, em São Caetano do Sul, Grande SP.
Divulgação
A aquisição foi feita pela empresa CSH Administração de Bens Intangíveis Ltda, braço de investimentos do Grupo Cacau Show, que pagou pelo espaço de 10.432 m² um valor 33% superior ao preço inicial estipulado pela Justiça para a realização do leilão.
Atualmente, a Cacau Show conta com mais de 4.000 lojas nos principais shoppings, avenidas e ruas comerciais de todo o Brasil.

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »