Brasil

Presídio passava por ao menos três obras durante fuga de detentos

A Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, passava por ao menos três obras quando dois presos fugiram, no último dia 14. Havia movimentação interna para obra no pátio de banho de sol, uma adaptação na recepção de visitantes e ampliação do alojamento de policiais penais. As informações são de autoridades envolvidas na crise de segurança instalada após a fuga. Até o momento, os fugitivos não haviam sido recapturados. A unidade tem dois contratos ativos com empresas de engenharia. Um deles, de R$ 1,7 milhão, é com a R7 Facilities, que está em nome de “laranja” e será alvo de “rigorosa apuração”, diz o Ministério da Justiça. A outra é a Construtora Dantas, contratada em abril para a erguer um “muro em estrutura de concreto armado para divisão do pátio de sol”.

cta_logo_jp
Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

A obra foi prorrogada 29 dias antes da fuga, conforme o Diário Oficial da União de 16 de janeiro. Segundo o engenheiro responsável, o motivo foi que, em várias vezes, a entrada dos pedreiros na prisão foi impedida. O engenheiro pediu para não ser identificado e nega que ferramentas da Dantas tenham sido usadas na fuga. Como o site da Jovem Pan mostrou, as buscas por Deibson Cabral Nascimento e Rogerio da Silva Mendonça — suspeitos de terem ligações com a facção criminosa Comando Vermelho, no Acre — chegam ao 11º dia neste sábado, 24. Desde então, mais de 300 agentes estão mobilizados, além de membros da Força Nacional, autorizados pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski.

*Com informações de Estadão Conteúdo
Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »