Guarujá

Sobe para 33 o número de suspeitos mortos na Operação Verão no litoral de SP


Suspeito morreu em confronto com a PM no Morro do José Menino, em Santos (SP). Confronto aconteceu no Morro José Menino, em Santos (SP)
Alberto Marques/Arquivo A Tribuna Jornal
Um homem, ainda não identificado, morreu após ser baleado durante um confronto com policiais militares em Santos, no litoral de São Paulo. Segundo apurado pelo g1, neste sábado (24), essa é a 33ª morte registrada durante a Operação Verão na Baixada Santista, que foi intensificada após o assassinato do PM da Rota Samuel Cosmo.
✅Clique aqui para seguir o canal do g1 Santos no WhatsApp.
De acordo com o boletim de ocorrência, a equipe policial realizava uma operação contra o tráfico de drogas no morro José Menino, quando se deparou com quatro homens saindo de um imóvel que estava sendo monitorado pelos policiais.
Três deles fugiram sem oferecer risco aos agentes, mas o quarto suspeito efetuou disparos quando percebeu a presença da equipe na Rua Seis. Os policiais revidaram e o homem foi baleado.
Ele foi socorrido até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Central, mas não resistiu. Segundo a Polícia Militar, o homem estava com uma pistola, com adaptador, kit roni e dois carregadores.
Já na casa de onde os suspeitos saíram, os policiais encontraram R$ 564, um aparelho celular, papelotes de maconha, invólucros contendo cocaína, dois rádios comunicadores, um carregador com capacidade para 100 munições, um porta carregador duplo e materiais para embalo de drogas.
O local passou por perícia e todos os itens foram apreendidos. Também foram realizados exames residuográficos nos policiais envolvidos e no suspeito. O caso foi registrado na Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Santos.
Operação Verão
A Operação Verão foi estabelecida na Baixada Santista desde dezembro de 2023. No entanto, as 2ª e 3ª fases, que, respectivamente, contaram com reforço policial e instalação do gabinete de Segurança Pública em Santos, foram decretadas logo após os assassinatos do soldado PM Samuel Wesley Cosmo, no último dia 2, e do cabo José Silveira dos Santos, no dia 7 de fevereiro.
Câmera no corpo de PM filma suposta execução durante a Operação Escudo
A atual fase da operação, inclusive, contou com a presença do gabinete da SSP-SP na região. A pasta esteve sediada na Baixada Santista durante 13 dias. As mortes dos suspeitos em confrontos com a polícia passaram a ser contabilizadas desde o último dia 7 deste mês.
Segundo a SSP, até este sábado (24), 772 criminosos foram presos, incluindo 286 procurados pela Justiça. Além disso, foram apreendidos 541,5 quilos de drogas e 86 armas ilegais, incluindo fuzis de uso restrito. Todos os casos de mortes em confronto são rigorosamente investigados pela Polícia Civil e Militar, com acompanhamento do Ministério Público e Poder Judiciário.
A Defensoria Pública de São Paulo, em conjunto com a Conectas Direitos Humanos e o Instituto Vladimir Herzog, pediu na última sexta-feira (16) à Organização das Nações Unidas (ONU) o fim da operação policial na região e a obrigatoriedade do uso de câmeras corporais pelos policiais militares.
José Silveira dos Santos (à esq.) e Samuel Wesley Cosmo (à dir.)
Reprodução
Mortes de policiais
Policiais militares Marcelo Augusto da Silva, Samuel Wesley Cosmo e José Silveira dos Santos, mortos na Baixada Santista (SP)
Reprodução/Redes Sociais e g1 Santos
No dia 26 de janeiro, o policial militar Marcelo Augusto da Silva foi morto na rodovia dos Imigrantes, na altura de Cubatão. Ele foi baleado enquanto voltava para casa de moto. Uma grande quantidade de munições estava espalhada na rodovia. O armamento de Marcelo, no entanto, não foi encontrado.
Segundo a Polícia Civil, Marcelo foi atingido por um disparo na cabeça e dois no abdômen. Ele integrava o 38º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (BPM/M) de São Paulo, mas fazia parte do reforço da Operação Verão em Praia Grande (SP).
No dia 2 de fevereiro, o policial das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) Samuel Wesley Cosmo morreu durante patrulhamento de rotina na Praça José Lamacchia. O agente chegou a ser socorrido para a Santa Casa de Santos (SP), mas morreu na unidade.
Uma gravação de câmera corporal obtida pelo g1 mostra o momento em que o soldado da Rota foi baleado no rosto durante um patrulhamento no bairro Bom Retiro (assista abaixo).
Vídeo mostra o PM da Rota sendo baleado no rosto em viela no litoral de SP
Cinco dias depois, o cabo PM José Silveira dos Santos, do 2⁰ Batalhão de Ações Especiais de Polícia (BAEP), morreu ao ser baleado durante patrulhamento no bairro Jardim São Manoel, em Santos. Na ocasião, outro policial militar foi baleado e está internado.
‘Chip’ é preso em MG
Kaique Coutinho do Nascimento, o ‘Chip’ (à dir.), é suspeito de matar o PM da Rota Samuel Wesley Cosmo
Reprodução
Ainda na última quarta-feira, a Polícia Militar prendeu o suspeito de matar o PM da Rota Samuel Wesley Cosmo. Kaique Coutinho do Nascimento, de apelido ‘Chip’, foi detido em Uberlândia, em Minas Gerais. O crime aconteceu em Santos, no litoral de São Paulo.
O policial foi baleado durante patrulhamento na Praça José Lamacchia, no bairro Bom Retiro, no último dia 2 de fevereiro. Ele chegou a ser levado para a Santa Casa de Santos, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local.
O g1 apurou junto à Polícia Militar que ‘Chip’ foi preso no Bairro Gávea. A informação foi confirmada pelo secretário de Segurança Pública de São Paulo, Guilherme Derrite, por meio das redes sociais.
VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos
De acordo com o boletim de ocorrência, um PM informou que estava com a equipe em operação eviela da

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »