Brasil

Milei anuncia fechamento de agência de notícias estatal, e jornalistas reagem

A decisão do presidente da Argentina, Javier Milei, de acabar com a Télam, agência pública de notícias do país, provocou reações de trabalhadores da imprensa. O Sindicato de Imprensa de Buenos Aires (SiPreBA) e a Federação Argentina de Trabalhadores de Imprensa (Fatpren) prometeram uma série de ações jurídicas, sindicais e políticas contra a intenção do governo. O anúncio de Milei foi feito durante discurso na abertura das sessões ordinárias do Congresso argentino, na noite desta sexta-feira, 1º. Ao justificativa sua decisão, o presidente argumentou que a Télam tem sido utilizada como “meio de propaganda kirchnerista”.

cta_logo_jp
Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

Logo após a fala de Milei, a secretária-geral da Fatpren, Carla Gaudensi, escreveu no X (antigo Twitter): “A Télam não fecha. Vamos defender não somente os trabalhos da Agência, mas todo povo argentino, todas as empresas do país, o patrimônio público e a soberania de nossa pátria”. A Comisión Gremial Interna (CGI) da Télam, similar a uma comissão de funcionários, convocou uma assembleia geral na segunda-feira, 4, para traçar como será o enfrentamento à decisão de Milei e “defesa irrestrita da Agência Nacional, da mídia pública e de todos os empregos”. Em um comunicado conjunto publicado neste sábado, o SiPreBA e a Fatpren lembraram que o material produzido pela Télam é utilizado por todos os meios de comunicação privados da Argentina.

*Reportagem produzida com auxílio de IA

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »