Guarujá

Rajadas de vento ultrapassam 130 km/h e deixam rastros de destruição no litoral de SP


Dois carros foram atingidos por árvores em Santos (SP), onde a velocidade dos ventos chegou a 134,5 km/h. Carro foi atingido por árvore no bairro Aparecida, em Santos (SP)
Vanessa Medeiros/TV Tribuna
Moradores da Baixada Santista, no litoral de São Paulo, sofrem os reflexos da forte ventania acompanhada de chuva que atingiu a região. Segundo apurado pelo g1 nesta sexta-feira (22), as rajadas de vento ultrapassaram 100 km/h e causaram diversos estragos nas cidades.
✅ Clique aqui para seguir o novo canal do g1 Santos no WhatsApp.
Seguindo a previsão da Defesa Civil do Estado, a frente fria chegou na Baixada Santista com uma tempestade que começou na noite de quinta-feira (21) e causou prejuízos até a madrugada de sexta. Entre as ocorrências, há destelhamentos, falta de energia e quedas de árvores e postes de transmissão.
Em nota, a Prefeitura de Santos informou que os ventos chegaram a 134,5 km/h e derrubaram pelo menos 25 árvores da cidade. Ninguém ficou ferido. Dois carros ficaram destruídos ao serem atingidos por árvores no bairro Aparecida.
A prefeitura ainda informou que semáforos de três locais estão apagados, enquanto um outro está intermitente. Há bloqueios em 14 vias da cidade e equipes estão nas ruas fazendo a retiradas das árvores, limpeza e outros serviços. Segundo a Defesa Civil do Estado, os bairros mais afetados foram Vila Mathias, Marapé e Embaré.
Árvore caiu em cima de carro no bairro Aparecida
Arquivo Pessoal
Em Guarujá, a velocidade dos ventos chegou a 106 km/h. Segundo a Defesa Civil da cidade, o acumulado de chuva foi de 24 milímetros. A cidade registrou 16 quedas de árvores nos bairros Enseada, Tombo, Pitangueiras, Pernambuco e Jardim Las Palmas. Não houve vítimas.
A Prefeitura de Mongaguá informou que choveu 70,5 mm em 24h, mas não registrou a velocidade máxima dos ventos. Ao todo, foram sete ocorrências de quedas de árvores, duas de postes de transmissão de energia e um destelhamento. A Diretoria de Serviços Externos está nas ruas para atender as emergências.
A Administração Municipal de Itanhaém ainda contabiliza os danos causados pelos fortes ventos. Segundo a prefeitura, há registros de diversas quedas de árvores caídas, mas a Secretaria de Serviços e Urbanização já iniciou os trabalhos de remoção das vias.
A Defesa Civil Estadual afirmou que 25 árvores caíram em Peruíbe, sendo parte delas na Rodovia Coronel Rodolpho Pettená. Equipes da Defesa Civil Municipal fazem a limpeza dos locais. Procurada pelo g1, a Prefeitura de Peruíbe não se manifestou sobre o assunto.
Vendaval provoca quedas de luz e árvores em diversas cidades da Baixada Santista
Cubatão registrou três quedas de árvores em vias públicas (na Avenida Henry Borden, na Praça Gervasio Bonavides e na Ilha de Caraguatá). Além disso, houve queda de galho sobre uma moradia e a rede elétrica. A Defesa Civil ainda informou que equipes monitoram as áreas de risco e realizam a limpeza das vias.
Em Bertioga, a prefeitura não recebeu chamados para ocorrências em decorrência da tempestade. No entanto, equipes operam dentro do Plano Preventivo da Defesa Civil (PPDC), no nível de observação. A cidade registrou 60 mm de chuva em 24h e, segundo a Defesa Civil do Estado, os ventos chegaram a 63 km/h.
Incidente aconteceu no bairro Aparecida, em Santos (SP)
Alexsander Ferraz/A Tribuna Jornal
O órgão estadual ainda informou que houve quedas de árvores na Rodovia Rio-Santos e Mogi-Bertioga. Equipes do Departamento de Estrada de Rodagem (DER) realizaram a remoção de limpeza da via.
A Prefeitura de Praia Grande não registrou acionamentos relacionados à ventania e chuva, apesar do índice pluviométrico ser de 85 mm em 72h. Segundo a administração municipal, problemas relacionados às chuvas devem ser relatados nos telefones 199 e 153.
Falta de energia
Algumas cidades registraram queda e falta de energia. Em nota, a CPFL Piratininga informou que equipes trabalharam nas últimas 12 horas e “restabeleceram a energia para 98% dos clientes da Baixada Santista”.
Segundo a concessionária, todo o efetivo da distribuidora segue atuando para normalizar o fornecimento para os casos isolados e de alta complexidade até esta sexta-feira (22). “Os maiores danos foram causados pela queda de árvores de grande porte, inadequadas para áreas urbanas e plantadas sob a rede elétrica, e por galhos e objetos arremessados pelo vento”.
A orientação da CPFL é que moradores acionem imediatamente a concessionária e o Corpo de Bombeiros em casos de fios partidos ou falhos caídos sobre a rede elétrica.
O registro de falta de energia pode ser feito por ligação para o contato 0800 010 2570 ou pelos canais digitais de atendimento, como o site, o aplicativo ou o WhatsApp (19) 99908-8888 e SMS 27304.
VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »