Guarujá

Suspeito de agarrar jovem e forçá-la a entrar no carro é identificado pela polícia e reconhecido pela vítima


Vítima de 19 anos registrou um boletim de ocorrência contra o suspeito por tentativa de sequestro e cárcere privado, em Santos, no litoral de São Paulo. Jovem escapa de criminosos ao reagir a ataque no litoral de SP
A Polícia Civil identificou o homem flagrado agarrando uma jovem, de 19 anos, e a forçando a entrar no carro dele, em Santos, no litoral de São Paulo. Conforme apurado pelo g1, nesta sexta-feira (12), o suspeito compareceu à delegacia e, inclusive, foi reconhecido pela vítima (assista acima).
✅Clique aqui para seguir o canal do g1 Santos no WhatsApp.
O caso aconteceu na Avenida Eleonor Roosevelt, no bairro Vila São Jorge. Imagens das câmeras de monitoramento mostram a mulher sendo agarrada pelo homem, que queria colocá-la dentro de um veículo. Ela reagiu ao ataque e conseguiu fugir.
Ao g1, a família da vítima, que terá a identidade preservada, confirmou que ela foi até uma delegacia em Santos e reconheceu o rosto do suspeito. Segundo os familiares, o homem já estava com uma aparência ‘diferente’ em relação ao dia do crime, uma vez que cortou o cabelo e fez a barba.
“Estava com uma outra fisionomia, mas ela o reconheceu”, afirmou uma familiar. “Ele disse à polícia que não foi tentativa de sequestro ou estupro, mas que a intenção dele era roubar o celular dela. Só que em nenhum momento ele pegou o aparelho, só entrou em luta corporal com ela”.
O g1 entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP), em busca de mais informações sobre o caso, e foi informado que a pasta apura o ocorrido.
Suspeito foi flagrado agarrando a jovem em Santos, SP
Reprodução
Vítima
Dias após a tentativa de sequestro e cárcere privado, como foi registrada a ocorrência pela Polícia Civil, a jovem conversou com a equipe de reportagem e contou sobre a abordagem do criminoso, que aconteceu por volta das 19h, na saída do trabalho.
A vítima disse que seguia para casa, mas, ao lembrar que precisava ir ao mercado, desviou a rota e entrou na Avenida Eleonor Roosevelt. Segundo ela, logo foi surpreendida pelo criminoso, que parecia segurar uma parafusadeira. “O homem me abordou dizendo: Ei, menina”.
Ela lembrou ter olhado para trás e, assustada, pensou em acelerar o passo, mas não deu tempo. “Ele já me fechou”, disse a jovem, que foi agarrada pelo criminoso e sofreu uma queimadura no braço causada pela suposta parafusadeira.
“Eu comecei a gritar, comecei a gritar por socorro, por ajuda. Gritava não [pedindo para soltá-la], gritava tudo que eu podia gritar”, disse.
Jovem ficou com arranhão e ferimentos após luta corporal com criminoso em Santos (SP)
Reprodução e Arquivo pessoal
‘Sabe Deus o que ele queria fazer’
Durante o ataque, enquanto era agarrada, a bolsa dela caiu no chão, mas o objeto foi ignorado pelo criminoso, que a puxava na direção do carro. A jovem contou ter conseguido fugir no momento em que o homem a segurou pela camiseta. Ela arrancou a peça e correu no sentido contrário (assista acima).
Assim que chegou na esquina da avenida, ela disse à equipe de reportagem que virou para olhar o homem, que voltava calmamente para o veículo. “Acho que ele não estava mirando uma pessoa específica. Acho que qualquer pessoa que aparecesse para ele estava servindo”.
Naquele momento, de acordo com ela, um grupo de meninos se aproximava do carro, o que a fez voltar a gritar. “Sabe Deus o que ele queria fazer, mas eu comecei a gritar essas coisas [sugerindo que seria sequestrada]”.
A ação motivou o grupo a tentar abrir a porta do carro à força, mas sem sucesso. O criminoso arrancou com o veículo e foi embora.
Machucados nas unhas e braço da jovem atacada em Santos (SP)
Arquivo pessoal
Segurança
Em nota, a Prefeitura de Santos informou que “o combate e a investigação de homicídios e outros delitos são de responsabilidade das autoridades policiais, que têm, em Santos, apoio da Guarda Civil Municipal (GCM), por meio do seu efetivo e videomonitoramento”.
Segundo a administração municipal, a PM mantém equipes no Centro de Controle Operacional (CCO) e possui acesso a todas as imagens das 1.736 câmeras espalhadas pela cidade.
“Além de zelar pelos próprios públicos e pelo cumprimento do Código de Posturas do Município, a GCM faz rondas diuturnas em toda a cidade”. A prefeitura disse, ainda, que pessoas flagradas em atitudes suspeitas são conduzidas ao distrito policial.
VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »