Guarujá

Mecânico diz que matou pai da ex porque ele não aceitava a relação; jovem também foi morta


João Carlos de Oliveira Antunes, de 29 anos, matou a ex-namorada e o pai dela. Ele foi preso dias após cometer o crime em Miracatu (SP). De acordo com delegado, João Carlos (à esq.) já foi condenado por agressão contra a ex-namorada em Miracatu (SP)
Redes sociais
O mecânico, de 29 anos, preso por matar a ex-namorada e o pai dela em Miracatu (SP), confessou à polícia ter assassinado o homem porque ele não aceitava o relacionamento do casal. Conforme apurado pelo g1, João Carlos de Oliveira Antunes, no entanto, disse não lembrar de ter matado a jovem. Ele afirmou à polícia que estava sob o efeito de álcool e cocaína quando cometeu o crime.
✅Clique aqui para seguir o canal do g1 Santos no WhatsApp.
Yasmin Santos de Queiroz, de 25 anos, e o pai dela, o funcionário público Francisco Xavier Marques de Queiroz, de 60, foram mortos na casa da família, na Rua Joaquim Pedroso, na noite de sábado (11). A esposa de Francisco e mãe de Yasmin estava em casa e testemunhou o crime. O mecânico foi preso por PMs em um sítio no bairro Pascoval, na madrugada de segunda-feira (13).
Segundo o delegado Carlos Eduardo Eiras Alves, que registrou a prisão, o indiciado confessou o assassinato de Francisco durante o interrogatório. Sobre a alegação de João Carlos, de que havia consumido álcool e usado entorpecentes, exames foram realizados e os resultados dos laudos são aguardados.
Leia também
VÍDEO: Rapper alega sofrer racismo ao ser acusado de furtar chocolate em mercado no litoral de SP
INSEGURANÇA: Mulher diz que drone a ‘espionou’ só de calcinha na janela de casa: ‘triste e invadida’; VÍDEO
COMPETIÇÃO MUNDIAL: Brasileiro que venceu o Mister Model International após 10 anos sem vitória para o Brasil diz que concurso ‘vai muito além da beleza’
Preso em 2022
De acordo com Alves, em 2022 João Carlos foi preso por uma grave agressão praticada contra Yasmin, o que inclusive garantiu uma medida protetiva em favor da vítima — ele não poderia ser aproximar dela. O agressor foi condenado a cumprir um ano e nove meses de reclusão, mas teve a pena suspensa.
“Ele foi liberado na custódia, um dia depois da prisão em flagrante. Depois não foi mais preso, mesmo condenado”, disse.
No interrogatório sobre a morte de pai e filha, o homem disse que a medida protetiva já “havia sido descumprida” porque o casal havia reatado. A Polícia Civil ainda não confirma essa versão. Segundo o delegado, inclusive, o indiciado estava morando e trabalhando em Praia Grande (SP).
“Ele está preso por trinta dias. Vamos ouvir a mãe da menina e esposa do falecido quando ela se recompor, aguardar os laudos e pedir a prisão preventiva, que com certeza vai sair”, afirmou.
Relembre o crime
Já matei o seu pai, agora é você’, diz mecânico antes matar ex-namorada no interior de SP
A esposa e mãe das vítimas, de 54 anos, estava em casa no momento do crime. Em depoimento, ela contou que Francisco e Yasmin estavam deitados quando o ex-namorado da filha chegou, arrombou a porta da cozinha e entrou no imóvel, na noite de sábado.
O g1 obteve um vídeo que mostra o mecânico João Carlos empurrando a jovem e pedindo desculpas antes de disparar contra a vítima, que pediu para não matá-la. O atirador respondeu: “Já matei o seu pai, agora é você” (assista acima).
De acordo com o relato da mulher, Francisco foi o primeiro a ser baleado. Com o barulho da porta, ele foi ver o que havia acontecido, quando encontrou com o atirador. Ao todo, foram efetuados três disparos na vítima.
Depois, o mecânico foi ao quarto onde estava Yasmin e levou a jovem para o quintal de casa. Ele também atirou três vezes contra a jovem. Na sequência, o homem fugiu de carro.
Pai e filha foram assassinatos a tiros por ex-namorado da jovem, no Centro, em Miracatu (SP)
Reprodução/Redes Sociais
Os PMs informaram à Polícia Civil que as duas vítimas pareciam estar mortas e acionaram o pronto-socorro da cidade. Uma ambulância foi enviada com uma equipe de resgate e os profissionais constataram a morte do pai e da filha. O Instituto de Criminalística (IC) foi acionado e realizou a perícia.
O caso foi registrado como feminicídio, violência doméstica e homicídio na Delegacia de Miracatu. O motivo das execuções ainda será esclarecido após o depoimento formal da mãe e esposa das vítimas.
VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »