Guarujá

Médico condenado a 16 anos de prisão por tráfico é solto e volta a atuar no Samu no litoral de SP


Frederico Chamone Barbosa da Silva cumpre a pena em regime aberto. Documentos enviados à ele pelas prefeituras de Santos e São Vicente solicitam que o médico atue no plantão noturno, devido à falta de profissionais na área. Médico condenado a 16 anos de prisão por tráfico é solto e atua no Samu em Santos (SP)
Divulgação/Prefeitura de Guarujá, Reprodução e TV Tribuna
Um médico condenado a 16 anos de prisão por associação e tráfico de drogas no litoral de São Paulo foi solto após nove anos de detenção. Frederico Chamone Barbosa da Silva cumpre a pena em regime aberto. Com a liberdade condicional concedida pela Justiça, ele retornou ao trabalho no Samu em duas cidades. O documentos enviados pelas prefeituras de Santos e São Vicente solicitam que ele atue no plantão noturno, devido à falta de profissionais na área.
✅ Clique aqui para seguir o novo canal do g1 Santos no WhatsApp.
Frederico tem 43 anos e nasceu em Santos. Ele foi candidato a vereador na cidade em 2012, recebeu 855 votos, mas não foi eleito. Segundo divulgado durante a campanha a vereador, Frederico é médico-cirurgião formado em uma universidade no município.
Em novembro de 2013, ele foi preso durante uma operação policial que também deteve outros dois homens e uma mulher. Na ocasião, telefonemas foram gravados com autorização da Justiça, até que o grupo foi identificado.
Segundo divulgado pela polícia, na época, o quarteto levava drogas para a cidade de São Bernardo do Campo. De acordo com a corporação, Chamone teria se aproveitado do fato de ser médico para guardar a contabilidade dos entorpecentes dentro de uma unidade de saúde na Baixada Santista.
Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária, Frederico estava detido no Centro de Progressão Penitenciária de São José do Rio Preto (SP) e foi liberado em 19 de setembro de 2023, quando teve a progressão ao regime aberto concedida pelo Poder Judiciário.
Médico foi preso em Santos, no litoral de São Paulo
Reprodução / TV Tribuna
Volta ao trabalho
O juiz Alexandre Betini, da Vara de Júri e Execuções de Santos, determinou que Frederico voltasse ao trabalho no Samu, no período noturno, dentro da cidade e nos municípios vizinhos. A decisão judicial, obtida pelo g1, é do último dia 30 de abril e tem validade de seis meses.
Nessa semana, o médico atuou no salvamento por videochamada de um bebê com sinais de asfixia em Guarujá. A história foi divulgada pela prefeitura, que afirmou que o profissional não trabalha na cidade, mas na Central de Regulação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) 192.
Ao g1, o advogado Eugênio Malavasi, que representa Frederico, explicou que o cliente cumpre o restante da pena em regime aberto e não possui sanções administrativas no Conselho Regional de Medicina (CRM), podendo atuar no Samu na Baixada Santista após decisão judicial.
Solicitações das prefeituras de São Vicente e Guarujá emitidas em 19 de abril.
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Prefeituras
O g1 questionou às prefeituras sobre o motivo de não ter pedido a exoneração do médico, preso em 2013, e aberto um novo concurso. Nos documentos, obtidos pelo reportagem, as prefeituras alegam um número insuficiente de profissionais na área.
Em nota, a Prefeitura de Santos informou que Frederico faz parte do quadro de servidores estatutários desde 21 de setembro de 2011 após passar no concurso público para médico. De acordo com o município, ele atua como médico regulador e intervencionista no Samu de Santos.
“Em obediência ao Artigo 58 do Estatuto do Servidor de Santos, o servidor ficou afastado do cargo – o mesmo artigo não determina exoneração nas condições do caso citado. Com a liberdade condicional concedida ao servidor pela Justiça, ele, obrigatoriamente, teve de retornar ao trabalho”, explicou a prefeitura.
Ainda segundo o município, após a regularização junto ao Conselho Regional de Medicina – SP, ele foi designado a prestar serviço no Samu, uma vez que, à época, o quadro estava incompleto na unidade, onde permanece desde 22 de setembro de 2023.
Sobre a realização de concurso público para o preenchimento de vagas de médico generalista de urgência e emergência, a Prefeitura de Santos informa que já realizou novos concursos. Um novo médico para o Samu tomará posse da última vaga aberta nesta sexta-feira (17). Não há, portanto, o déficit de profissionais que havia anteriormente.
Médico atuou no salvamento por videochamada de um bebê com sinais de asfixia
Divulgação/Prefeitura de Guarujá
A Prefeitura de São Vicente, por sua vez, informou que Frederico não integra o quadro permanente de servidores da Saúde na cidade. Segundo o município, o profissional dispõe de respaldo jurídico para desempenhar a profissão e possui registro ativo junto ao Conselho Regional de Medicina.
“Atualmente, ele exerce a função de Médico Regulador e Intervencionista no Samu, por meio da empresa credenciada para prestação de serviços médicos. Portanto, não há vínculo direto entre o profissional e a administração municipal”, complementou a prefeitura.
VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »