Geral

Virada Cultural 2024 começa com atraso e forte esquema de segurança

O show do cantor Léo Santana abriu oficialmente o palco principal da Virada Cultural 2024, no Anhangabaú, na região central, na noite deste sábado (18) com atraso de 1h10. O público que chegou logo no começo da festa encontrou um policiamento ostensivo para inibir arrastões e roubos de celulares, os grandes fantasmas das edições anteriores do evento. Com expectativa de atrair 4 milhões de pessoas, a edição deste ano seguiu à risca o roteiro do ano passado para tentar resolver a enorme dificuldade da insegurança no centro.

A ideia é sepultar de vez as cenas de apocalipse de 2022, com arrastões e gente correndo para se salvar. Com isso, o evento continua parecido com um festival musical, sem a integração com a área central, pilar da ideia original do evento quase 20 anos atrás. Todo o vale do Anhangabaú, onde se localizam três palcos, está cercado com tapumes, isolando o vale do entorno, como se fosse uma porção separada da cidade.

cta_logo_jp
Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

Em alguns pontos da Arena, policiais militares estão posicionados em andaimes de 3,5 metros de altura, aproximadamente, a fim de ter uma visão privilegiada do local. Outra medida, já testada no ano passado, foi um corredor de segurança central. Ali, policiais do BAEP e da Polícia Militar ficam de olho no público, que acabou dividido em duas plateias. O esquema de segurança também conta com policiais à paisana espalhados em meio ao público.

Nesse esquema de segurança ostensiva, a Virada demorou para começar. De acordo com a produção do evento, “problemas técnicos de iluminação” causaram um atraso de mais de uma hora e Léo Santana subiu ao palco às 18h11, mas a programação do evento havia marcado o início para 17h. Minutos antes da entrada de Léo, os fãs já gritavam “Léo Santana, cadê você? Eu vim aqui só para te ver”.

Em sua apresentação, Léo Santana prestou homenagem à cantora Marília Mendonça. “Eternamente em todos os cantos”, disse o cantor enquanto uma imagem da artista morta precocemente em 2021 era exibida no telão e o público aplaudia. Depois ele cantou Apaixonadinha, sua parceria com Marília, e novamente a imagem da cantora apareceu no telão – dessa vez, o público pôde ver o clipe.

Doações para o Sul

Chamada de Virada Cultural da Solidariedade, o evento possui postos de doação de água, alimentos não perecíveis e produtos de higiene e limpeza para as vítimas da tragédia do Rio Grande do Sul.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »