Guarujá

Pessoas com deficiência poderão realizar trilhas em Bertioga, SP, usando cadeiras adaptadas


Prefeitura receberá cadeiras Julietti por meio de convênio firmado com o governo estadual. Instrumentos permitirão que PCDs e pessoas com mobilidade reduzida contemplem a natureza municipal. Cadeira Julietti estará disponível para PCDs que desejem fazer trilha em Bertioga (SP)
Instituto Montanha Para Todos/Divulgação
Pessoas com Deficiência (PCDs) ou com mobilidade reduzida poderão realizar trilhas em Bertioga, no litoral de São Paulo, de forma acessível. Em breve, a prefeitura receberá seis cadeiras do modelo Julietti, desenvolvidas para quem deseja um contato direto com a natureza em segurança.
✅ Clique aqui para seguir o novo canal do g1 Santos no WhatsApp.
A administração municipal informou que as aquisições são fruto de uma parceria com a Secretaria de Estado dos Direitos das Pessoas com Deficiência. Um convênio com o estado será assinado.
As cadeiras adaptadas estarão disponíveis nas trilhas de Guaratuba e do Itaguaré. Elas devem ser guiadas por duas pessoas e têm condições de acessar áreas montanhosas.
Depois da chegada das cadeiras, os profissionais do ecoturismo ligados às associações Bertioguense de Ecoturismo (Abeco) e dos Monitores Locais de Bertioga (Amolb) receberão um treinamento para acompanhar as PCDs. O valor do investimento ainda não foi divulgado.
Trilhas contempladas
Trilha de Guaratuba, em Bertioga (SP)
Parque Estadual Restinga de Bertioga/Divulgação
A trilha de Guaratuba é a mais famosa. Lá, há dois atrativos naturais: o Poço do Limão e uma cachoeira cristalina. Segundo o presidente da Abeco, Cristiano Borges, o local foi o que mais recebeu infraestrutura nos últimos anos devido à alta procura.
De acordo com a prefeitura, a trilha de Guaratuba é bastante acessível e considerada de nível médio. É exigido que um monitor ambiental acompanhe a atividade. O percurso de 8 km, ida e volta, é praticamente plano.
A trilha do Itaguaré, por sua vez, tem um percurso de 2km ida e volta, e pode ser feita sem a presença do monitor. No caso de atividade pedagógica ou realizada por agências de fora da cidade, é necessária a condução por um profissional.
Cadeira Julietti
Junto ao pequeno ‘Ben’, Juliana e Guilherme se aventuram pelas matas do Brasil e do mundo
ONG Montanha Para Todos
As cadeiras adaptadas têm esse nome em homenagem a uma mulher chamada Juliana Tozzi, que tem câncer e uma síndrome neurológica rara. O marido dela, o engenheiro Guilherme Cordeiro, desenvolveu uma cadeira acessível para que pudessem fazer trilhas juntos pelas montanhas.
A primeira viagem de Juliana com a cadeira ocorreu em 2016. O casal montou o Instituto Montanha para Todos para democratizar o uso do equipamento adaptado, além de criar um banco de voluntários para ajudar na utilização da cadeira.
VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »