Tecnologia

Sonda Voyager 1 acorda após seis meses adormecida no espaço profundo

Em comunicado emitido na quarta-feira (22), a NASA afirma que a sonda Voyager 1 recuperou o retorno de dados científicos de dois de seus quatro instrumentos pela primeira vez desde que um problema de computador acometeu a espaçonave em novembro do ano passado

Segundo a agência, “as equipes de instrumentos científicos da missão agora estão determinando etapas para recalibrar os dois instrumentos restantes, o que provavelmente ocorrerá nas próximas semanas”. A conquista marca um progresso significativo para restaurar a espaçonave às operações normais.

Em abril, após cinco meses de investigação desde o problema original do computador, a missão conseguiu que a espaçonave começasse a devolver dados de engenharia utilizáveis sobre a saúde e o status de seus sistemas a bordo, incluindo os instrumentos científicos.

“Então, em 17 de maio, a equipe enviou comandos à espaçonave de 46 anos que permitiram retomar o envio de dados científicos para a Terra”, revelou a NASA. 

Equipe em comemoração ao detectar sinais de retorno da espaçonave Voyager 1, da NASA, pela primeira vez em meses. Crédito: NASA/JPL-Caltech

Leia mais:

Equipe descobre fonte do problema que paralisou sonda Voyager

Com a sonda Voyager 1 localizada a mais de 24 bilhões de km da Terra, a luz leva mais de 22 horas e meia para chegar à espaçonave e 22 horas e meia para que um sinal retorne dela. Como resultado, a equipe teve que esperar quase dois dias para ver se seus comandos tinham sido bem-sucedidos.

Conforme o comunicado da NASA, o subsistema de ondas de plasma e o instrumento magnetométrico estão agora retornando dados científicos utilizáveis. “Como parte do esforço para restaurar a Voyager 1 às operações normais, a missão continua o trabalho no subsistema de raios cósmicos e no instrumento de partículas carregadas de baixa energia”, explica a agência.

As trajetórias das sondas Voyager 1 e 2. Crédito: NASA

A equipe finalmente descobriu que o problema ocorrido em novembro decorreu de uma pequena porção de memória corrompida no subsistema de dados de voo, um dos três computadores da espaçonave. Entre outras coisas, este sistema é projetado para empacotar dados dos instrumentos científicos, bem como dados de engenharia sobre a saúde e o status da espaçonave antes que essas informações sejam enviadas à Terra.

Lançada em 1977, a espaçonave Voyager 1 e sua gêmea, a Voyager 2, comemorarão 47 anos de operações em 2024. Elas são as espaçonaves mais longevas em operação da NASA, bem como a primeira e única missão a explorar fora da heliosfera. 

Criada pelo Sol, essa bolha de campos magnéticos e vento solar empurra contra o meio interestelar, um oceano de partículas criado por estrelas que explodiram em outras partes da Via Láctea. Ambas as sondas passaram por Júpiter e Saturno, enquanto a Voyager 2 também passou por Urano e Netuno.

O post Sonda Voyager 1 acorda após seis meses adormecida no espaço profundo apareceu primeiro em Olhar Digital.

Facebook Comments Box

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Translate »